Páginas

10 de fev de 2014

"Things die but don't always stay dead."


"Eu deveria mencionar que a minha melhor amiga, Lisa Dragomir, é a herdeira do trono de uma raça antiga. E, como a maioria das criaturas que têm presas, eles vivem de sangue. Meu nome é Rose Hathaway e eu jurei proteger a realeza com a minha vida. E essa é a Academia de Vampiros."


O ano era 2010. Eu não lembro bem do que tava acontecendo no mundo. Nem no Brasil. Nem na casa dos meus vizinhos. Quem dirá na minha vida. Mas eu lembro bem que eu tinha lido um livro maravilhoso que virou vício: O Beijo das Sombras ( Vampire Academy) da Richelle Mead, que eu até resenhei por aqui. Alguns anos depois, os meus sonhos mais loucos se concretizaram: o primeiro livro, de uma série de 6, virou filme dirigido pelo Mark Watter (Meninas Malvadas),  e está sendo exibido agora mesmo nos EUA e estreia dia 14 de março aqui no Brasil. 

Vampire Academy começou a ser publicado em 2007 e seu boom veio depois de Crepúsculo, como aconteceu com várias outras séries. Mas apesar de falar das mesmas criaturas, a trama deste livro mostrava várias diferenças em relação à Twi, além de ter uma mitologia mais própria e mais consistente. Aos poucos, Richelle esquivou-se do estereótipo "vampiro é tudo a mesma coisa" que o público pós-Twilight acabou (infelizmente) alcunhando e brilhou por conta própria (e não por causa do sol =p ).

A história do primeiro livro se passa no oeste do estado de Montana e se desenrola dentro e fora dos portões da escola Saint Vladimir para vampiros. Mas não são quaisquer vampiros. São Morois e Dhampirs.
Deixa eu explicar antes que você fuja: Morois são vampiros ‘puros’ pois nascem nesta condição e pertencem a uma nobreza de sangue. Alimentam-se de doadores humanos sem matá-los (e com consentimento destes), utilizam magia elementar e mantém-se discretos - porém não escondidos- do mundo dos humanos. São o que chamaríamos de vampiros do bem. Do outro lado temos os Strigois, vampiros ‘maus’ que são transformados contra (ou por) sua vontade em criaturas sem sentimentos, cruéis e assassinas. Strigois cobiçam o sangue Moroi desde sempre e, para proteger a nobreza, temos a terceira categoria, os meio-vampiros, Dhampirs. Estes possuem tanto sangue humano quanto Moroi, o que os torna ágeis, adaptáveis, e extremamente prontos para uma luta. Desde o nascimento, suas vidas são dedicadas a proteger os Moroi da ameaça Strigoi dedicando-lhes toda e qualquer atenção.

Pegou a ideia?

E quem são os personagens de O Beijo das Sombras? O livro  tem como protagonista Lissa Dragomir, a última descendente de uma das famílias reais Moroi, e sua dhampir protetora, a explosiva Rose Hathaway. As duas são melhores amigas desde a infância e possuem outras ligações psíquicas que tornam sua relação muito mais intrigante. Desde o início, é Rose que leva a história. Ela é impulsiva, esquentada, apaixonada e não pensa duas vezes antes de socar a cara de alguém. Quebrar regras é a especialidade da nossa Rose e sua única meta na vida é proteger Lissa de tudo e de todos, sufocando qualquer desejo próprio para isso. E isso é tão evidente, que o leitor se compadece totalmente dela.


O trunfo de O Beijo das Sombras (e  toda a série, aliás) é, com certeza, a Rose.

E Dimitri.

*pausa. respira. ri feito idiota*

Dimitri Belikov é o dhampir instrutor de Rose na Academia. Com ascendência russa, sete anos mais velho do que ela, Dimka é o tipo de cara que desperta nosso amor imediato e, claro, o da sua aluna prodígio. Cheio de princípios, personalidade e um charme que está em seu jeito quieto, Dimitri sabe que amar Rose - sua Roza- é uma inconsequência. Ela é sua aluna e além de ser muito mais nova, um dia, a vida dos dois será dedicada a um Moroi.  Seus destinos não pertencem a eles. Eles (moroi) vêm em primeiro lugar. Sempre.

Se eu me permitir amar você, não vou me colocar como escudo na frente dela. Vou querer me atirar para proteger você.”


Não há exageros, não há cenas de amor piegas ou declaraçõezinhas melosas. O Beijo das Sombras é forte, intenso e muitas vezes triste. Rose está presa a seu destino dhampir e sempre que ela precisa renunciar a um desejo seu em prol de Lissa nosso coração aperta. Lissa, por sua vez, precisa lidar com a pressão social de ser da realeza e estar sempre tentando atingir padrões e alcançar expectativas dos outros, em detrimento de sua própria felicidade. O dom da cura, que ela carrega, é um fardo que não compreende e que acaba levando ela e Rose a fugir da Academia, buscando um pouco de liberdade. Esse é o início da trama e dois anos depois, elas são encontradas e precisam voltar pra Saint Vladimir e encarar o mundo dos vampiros novamente. Lissa precisa enfrentar sua mente perigosa e Rose aprender a proteger sua moroi.


Eu sou LOUCA, por essa série. Sofri lendo e-books, enquanto os livros não eram publicados no Brasil e agora estou sofrendo ao reler  porque a história de VA é fantástica! Sou fangirl assumida de tudo que a Richelle escreve e essa é com certeza uma das minhas séries favoritas dentro dessa temática. Se você é fã de vampiros, vai gostar. Se você odeia vampiros, vai gostar também. Essa é a mágica da Richelle Mead: ela te transporta pra dentro da história e nada mais importa.


Livro: O beijo das Sombras
Autor (a): Richelle Mead
Páginas: 319
Editora: Agir
Arabescos: 5/5




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça uma pessoa feliz e comente esta postagem!
Saber a opinião de um leitor é muito importante pra que a gente saiba se o blog está legal ou não =)