Páginas

14 de jul de 2012

Delírio- Lauren Oliver*




“Eu amo você. Lembre-se. Eles não podem tirar isso de nós.” Delírio- Lauren Oliver.

Olá povo! Como estão as leituras? Bem, se estiverem a fim de ler um livro muito bom, vou dar uma dica.
Tive a oportunidade de ler esse mês Delírio da Lauren Oliver e gostei muito. Gostei mesmo! Primeiramente porque a autora escreve muito bem, e depois porque a ideia da história é muito boa e me deixou querendo mais e mais...

Vocês amam. Eu amo. Nós amamos muitas coisas todos os dias. Amamos nossos pais, nossos irmãos (às vezes =p), nossos amigos.... Amamos muito. Amar é muito normal para nós. Agora, imagine se, de repente, amar fosse proibido. Imagine um mundo em que o amor fosse considerado uma doença e precisasse ser curado... Imaginou? Seria horrível não é? Pois essa é a ideia de Delírio.
O livro nos conta a história de Lena, uma adolescente tímida e normal que vive em Portland e está prestes a completar 18 anos. E ela sabe o que a espera assim que chegar nessa idade: Lena vai passar por um procedimento cirúrgico que vai curá-la da doença chamada amor deliria nervosa.  Ela está ansiosa, mas deseja isso. Todos os jovens passam pelo procedimento que foi implantado no país há cerca de 64 anos e livrou todos os habitantes de contraírem a terrível doença do amor. Esse é o mundo de Lena. Um mundo, cercado por muros e cercas eletrificadas, onde as emoções são controladas, e sempre há uma patrulha andando pela rua em busca de alguém que demonstre o menor sinal de ter contraído a doença: rir muito, abraçar alguém sem motivo, dançar, cantar... Qualquer sinal e a pessoa é presa e levada para uma avaliação.
What? Isso mesmo, amar é doença e tem cura. 

Mas mal sabe Lena que nem todos foram a favor de exterminar o amor... Muitos resistiram e desta forma foram chamados de Inválidos, os habitantes das Selvas que existem depois dos muros de Portland.  Pessoas que volta e meia se manifestam contra a terrível ideia de transformar o amor em doença. Quando Lena conhece Alex, um misterioso “curado”, ela descobre que os Inválidos não são uma lenda e que amar, pode ser uma doença maravilhosa...

ai, o amor... 

O livro tem 342 páginas, e traz um trechinho da sequencia, Pandemônio no final. A capa, lindíssima e em tom metalizado, é trabalho da editora Intrínseca, que a gente adora! Cada capítulo traz também, no início, trechos do Shhh (Suma de hábitos, higiene e harmonia), livro que todos os habitantes devem ler e as crianças devem aprender ainda na escola para evitar contrair o Amor Deliria Nervosa.

Delírio foi uma surpresa boa que tive entre minhas leituras. A ideia de o amor ser considerado uma doença faz com que a gente se imagine no mundo de Lena, tendo que viver da forma que ela vive: controlada, fria e sem gosto. Um mundo morno. Você consegue se imaginar sem amor? Sem amar? Eu não. E é por isso que o livro é tão bom... Nós torcemos para que Lena contraia a “doença”, para que ela sinta o que a gente sente todo dia e que faz o nosso mundo valer a pena: amor.

Abraços e boa leitura!

Blair

*esta resenha foi feita por mim para o site Foforks, podem conferir lá também!!!