Páginas

18 de ago de 2010

Maratona de Banca: Agosto- Viagem no Tempo



As Duas Vidas de Adrienne- Nina Beaumont

(Across Time- Clássicos Históricos, 1)

Ao ser levada para o leito nupcial, Adrienne não tinha como fugir: dentro de instantes teria de entregar sua pureza a um estranho!

O duque Alessandro di Montefiore, precisava consumar aquele casamento arranjado. Mas não confiava em sua esposa: Isabella era famosa em Siena tanto por sua beleza quanto por sua maldade! Contudo, na noite de núpcias, quando ela o fitou com um misto de vergonha e desejo em seus olhos ardentes, Alessandro decidiu arriscar a própria vida pela promessa de alucinantes momentos de paixão...

O destino levara Adrienne de Beaufort em uma viagem através do tempo e a fizera encarnar no corpo de sua ancestral Isabella Pulcinelli - mulher marcada pela perfídia e pela traição. Sua alma, porém, não se alterara, e só Adrienne poderia evitar a tragédia que rondava Alessandro: a morte pelas mãos da cruel Isabella!


Adorei esse livro! Muito, muito.
Não lembro de ter lido nada na Nina Beaumont antes, mas com esse livro ela já me ganhou e me fez desejar ler outros trabalhos seus.
Confesso que comecei a ler com o pé atrás imaginando que, por se tratar de volta no tempo, haveria o momento fatídico que a verdade seria revelada e a mocinha teria que dar longas e sinuosas explicações sobre a situação. E eu não sou muito fã de longas e chorosas explicações. Mas Beaumont me surpreendeu.
Adrienne, vulgo Isabella, é um personagem centrado, bate muito bem da cabeça e tira de letra o fato de ter regredido alguns séculos no tempo e acordado no corpo de sua terrível ancestral. Ela encara a situação e se vira nos 30 pra tentar impedir a morte do marido de Isabella, que foi planejado pela mesma. (Adrienne no caso seria descendente de Isabella com um segundo marido e não com o lindo Alessandro, que a diaba matou assim que teve chance no passado que agora Adrienne está.). Isabella era má. Mas má de verdade, do tipo que você chega a comparar a uma Paola Bracho da vida e Adrienne precisa lidar com toda a reputação e escândalos que a Isabellita arranjou até o momento. O negócio é que a situação se complica bastante e todos os sinais levam a crer que Adrienne não conseguirá salvar o marido de Isabella, por quem agora está perdidamente e irrevogavelmente apaixonada. Aliás, se eu estivesse no lugar da Adrienne/Isabella daria meu couro para salvar o tudibom do Alessandro di Montefiore *suspiro*.
Não vou contar o final, mas digo que é muito bom. Adrienne toma uma decisão que eu achei muito coerente sobre ficar ou voltar e principalmente sobre contar ou não a Alessandro quem ela é e de onde vem. O final é um bom exemplo de que, às vezes, guardar um segredo, pode trazer mais felicidade do que uma verdade cabeluda.

Gostei: Adrianne, como personagem.

Não Gostei: ---