Páginas

2 de abr de 2010

24 horas

Estou louca.
Meio perdida.
Trabalho de um lado, faculdade do outro, relacionamento, coisas pra fazer, sem tempo, VGF, Blair, dança....mais trabalho, mais trabalho.
Feriado????
Só serve pra eu perceber que um feriado não serve pra descansar.
E eu estou muito cansada.
Preciso de... solidão.

30 de mar de 2010

Maratona de banca: Março- Romance Histórico


No Jardim das Tulherias - Louisa Rawlings
(Stranger in my arms - 1990 - Harlequin)

"Charmiane de Viollet pertence a sociedade que despreza a nova nobreza e se empenha em recuperar o antigo poder. Porém, em uma noite de magia, entrega-se de corpo e alma a um desconhecido, um integrante da odiada elite guerreira que conquistou a Europa. Um inimigo que a lança num abismo de dúvidas. A começar pelo nome... Adam ou Noel Bouchard? Os gêmeos se apaixonam pela bela dama de sangue azul, mas não querem trair seus ideais nem quebrar o elo especial que sempre os manteve unidos. A troca de identidades lhes fora útil no passado e agora será uma arma num perigoso jogo de amor!"

Esse é um daqueles livros em que você precisa de um tempo para decidir se gostou ou não.
Primeiro porque, volta e meia, você fica confusa. Ela ama um, ela ama outro, ninguém se ama, todo mundo se ama. Charmiane vive envolta na dúvida e na incerteza do amor que sente. Ela ama. Mas quem, já é outra história...
Ambientado na França pós Revolução, em meio ao luxo exagerado, aos ideais de glorias napoleônicas, Jardim das Tulherias traça o caminho tempestuoso do amor entre duas pessoas de mundos diferentes. Charmiane de Viollet é uma jovem de sangue azul que vive em condições precárias após a perda de poder da nobreza francesa. Sem título, sem dinheiro e sem um futuro prende-se à esperança de que um dia toda a glória será restaurada. Adam Bouchard é um jovem e taciturno coronel com a alma envelhecida pelos horrores da Guerra, que vive apenas para levar adiante os ideais de Napoleão. Os dois encontram-se numa noite de gala no famoso Jardim das Tulherias e entregam-se, no clichê, à uma irresistível paixão.
Apesar do amor latente um conjunto de empecilhos põe-se à frente do casal: além da diferença da nobreza, Charmiane vê-se alvo das atenções do irmão gêmeo despretensioso e galante de Adam, Noel, que , com a partida abrupta do irmão para a guerra abre um buraco de incertezas no coração da jovem. Neste ponto, eu já não sabia pra que irmão torcer.
O desenrolar da história se dá na descrição dos momentos tristes de Adam na guerra e a espera ansiosa de Charmiane. Longe de ser tedioso, o relato das batalhas e de todo o cenário francês é instigaste e vivo -e para uma estudante e amante de História como eu- um deleite.
Isso é o que vai fazer sua leitura pender. Eu adorei toda a descrição... mas muita leitora iria preferir um bocado mais de romance do que um quinhão de História...
A única coisa que não gostei foi o fato de Adam dar uma de Hulk com Charmiane em alguns momentos. Mocinho que dá uma de ignorante sempre perde pontos...

Gostei : a descrição da sociedade pós Revolução Francesa
Não Gostei: Mocinho Hulk