Páginas

9 de jul de 2009

Divas do Arabesque- Shahdana


Sim hoje a diva é uma argentina!
E não, não é a Saida. Apesar da semelhança.
Bom, eu conheci a dança dessa bailarina linda no tempo em que comecei a montar meu solo, e assistia baladis a torto e a direito como pesquisa. O primeiro vídeo que ví dela foi um baladi, em que ela arrasava no taxim no chão, guiada pelo som de Mario Kirlis. Depois desse não parei mais de ver.
Shahdana.
Beleza de nome... Durante uns cinco meses precisava fazer umas dez tentativas de pesquisa no Youtube até acertar a escrita do nome da moça, até que decorei *um S, um H, um A, repete o H, segue com DANA*. Peguei! Aliás, sempre me pareceu que argentina que é argentina tem que ter um nomezinho bem difícil pra combinar com 'Colette', 'Mario Kirlis' e 'baladi'... Mas é só uma suposição, claro.
A primeira vista, fisicamente, Shahdana é quase uma filha perdida de Saida. Magrinha, braços longuíssimos, rosto fino, cabeleira, mãos perfeitas. E na dança, obviamente ela não nega a origem. Shahd saiu das costelas de Saida e a influência da 'argentina-mãe' está em seus movimentos como um DNA. Mas pára por aí. Nos vídeos de até uns três anos atrás, ainda dá pra confundir muito as duas, mas com o passar dos tempo; a menina dos olhos cresceu, mudou e construiu um estilo, que apesar de beirar o da preceptora, tem uma graça e elegância toda sua.
Shahdana é criativa. Do tipo que, uma mão acaba num movimento inesperado, uma batida que parecia óbvia muda, um deslocamento recebe acréscimos de braços e sorrisos meigos. Depois de ver uns três vídeos você já percebe alguns trejeitos, umas colocações que são apenas dela, nem Saida tem. Pontua-se também pela meiguice, carisma, uma coisa de dançar bonito, suave. É rainha nos taxins - mesmo- e delicada nos baladis. E ainda se completa como coreógrafa e dançando tango. Aliás, foi dela a primeira fusão de tango com dança do ventre que assisti. E gostei.
Enfim, adoro, adoro, adoro e ela é Diva o suficiente para ser compartilhada!
.
Ponto alto da diva: O sorriso bonito, e as mãos suaves. E o cabelo!
Ponto crítico da diva: Uma ou outra mania muito 'Saida' que ela ainda usa.
.
Diva na net
Diva no Facebook




*no vídeo, Shahd interpretando Wahashtini, em Colette- 2007, primeiros 30 seg. embaçados*

8 de jul de 2009

No Media hoje




...Blood is on the dance floor
Blood is on the knife
Susie got your number
And Susie says it's right
She got your number
How does it feels
To know the stranger
Is out to kill

Pra dançar pela casa, no volume máximo e brincando de Susie. Blood on the dance floor, do Mike.

7 de jul de 2009

Feliz aniversário


Eu reclamava por ter que te abraçar em público...
Mas adorava ser tua pequena.
Me irritava tua maneira de falar alto...
Mas me divertia com tuas piadas.
Me envergonhava ao ser apresentada à teus amigos como 'a cara do pai'...
Mas ficava orgulhosa por ter pintinhas iguais as tuas.
Odiava tua economia...
Mas admirava teus esforços.
Não gostava de ser vigiada...
Mas ficava feliz quando você voltava pra casa.
Eu nunca disse 'Eu te amo' de forma espontânea. Oh, era brega!
Mas sempre te amei no silêncio...
Se eu soubesse que não era pra sempre; teria te abraçado mais, te ouvido mais, rido mais. Teria assistido mais filmes dos teus preferidos, teria ouvido todas aquelas músicas que você adorava. Teria feito um cartão de dia dos pais mais criativo, teria comprado um presente de Natal maior.
Teria me agarrado em tí.
Teria encostado minha cabeça no teu peito só pra ouvir teu coração bater bem forte no meu ouvido...
Teria te dado muito mais do amor que guardava dentro de mim.
Porque quando você se foi- e faz quase um ano- eu descobri que perder quem a gente ama, nunca pára de doer.
.
Feliz aniversário, pai.