Páginas

12 de abr de 2009

Claymore


Pra quem curte anime/mangá [o desenho e a revista respectivamente] minha dica: Claymore.
Fazia tanto tempo que eu não assistia anime novo que esta semana segui a dica de um amigo e baixei essa obra recente de Norihiro Yagi [recente pra brazuca, porque lá na terrinha dos mangás, Claymore saiu em 2001].
A história é um conjunto de clichês já bem conhecidos por quem curte o assunto, sem deixar de ser extremamente interessante de assistir e ler.
Num mundo alternativo medieval, humanos coexistem com criaturas chamadas Youma, seres sensitivos que se alimentam de vísceras humanas. Quando fazem isso, os Youma adquirem a forma física da pessoa e suas lembranças. Para tentar deter as criaturas, uma organização secreta criou uma ordem de guerreiros poderosos. No momento atual, a justiça é feita apenas por guerreiras Claymore, seres híbridos, criados por experimento pela organização: metade humanos, metade Youma, daí sua força e habilidade para destruir os seres maléficos.
A história é muito bem escrita e o traço de Norihiro é bastante bonito. Já no anime lançado pela Madhouse, as guerreiras ganharam um traço mais anguloso e longuilineo. Claire, a protagonista é bastante melancólica e cheia de lembranças dolorosas, uma característica uniforme da maioria dos mangás guerreiros. Como em CDZ ou Fullmetal um dos pontos fortes da história ainda é o passado escuro e cheio de segredos e dores dos personagens.
Não original, mas muito bom de ver.
Acho que o mais significativo está na solidão das guerreiras Claymore. Ainda quando crianças elas são transformadas pela organização, num processo longo e doloroso. Ela sabem que a partir daí serão seres solitários. Porque apesar de serem duas criaturas dentro de uma, não fazem parte de nenhum mundo afinal. Não podem viver entre humanos por serem muito diferentes com seus olhos prateados e seu metabolismo diferente; nem entre Youmas por não serem completos monstros. Seu destino é vagar fazendo seu trabalho, passando de vila em vila. Até o dia em que as menos afortunadas, acabam tendo que morrer se sua metade Youma se tornar muito forte.
É um anime triste e cheio de valores e idéias bonitas a serem consideradas. Amizade, fidelidade, coragem e força. Como aliás, na maioria dos mangás e animes.
Por isso eu sou tão apaixonada por essa arte. Você nunca vai assistir ou ler sem aprender alguma lição valiosa sobre a condição humana, mesmo em mundos alternativos ou com criaturas diferentes.
Claymore claro, não poderia ser diferente.