Páginas

14 de mar de 2009

Del estupendo grito, de la tristeza loca... Serena


Eu dedico um amor leigo ao Flamenco.
Leigo, porque o pouco que sei se resume a conhecimento histórico. Tecnicamente, não sei quase nada e o 'quase nada' que sei, nem tento reproduzir pra não pagar mico. Mas leigo ou não, eu amo de paixão.
Ano passado, quando passei por aquele período turbulento na dança -quem acompanha o blog há uns meses deve lembrar- eu quis tentar algo diferente para espairecer e fui atrás de aulas de Flamenco. No entanto, quando já estava tudo certo para ter uma aula experimental as situações convergiram e acabei tendo que deixar esse teste de lado e não surgiu mais oportunidade de tentar.
Mas não me queixo, porque na época as coisas na dança voltaram ao normal e muita coisa me manteve ocupada e bem, durante aqueles dias.
Assim com em DV, não lembro quando, nem como me apaixonei por Flamenco. É dessas coisas da vida que existem, ou aparecem quando menos se espera. Só sei que sempre achei esteticamente lindo e emocionalmente encantador. Toda vez que tinha a oportunidade de assistir, era engolida por toda a beleza e a magia que existe nessa dança. Sabe, de se arrepiar e ficar imaginando como seria dançar aquilo, daquela maneira, com aquela emoção? É, bem isso. [o mesmo que acontecia quando via algo de DV].
Acho que foi por toda essa admiração existente, que fiquei tão mexida ano passado quando uma coreo de flamenco-árabe foi montada e eu não pude participar porque não ia na aula em questão. Bem, vocês lembram, quando falei da tal música que mexia total comigo, que me deixava em lágrimas... que doía. A música em questão era uma flamenco-árabe, que eu nunca poderia dançar apesar de amar. Passei mal bocados tentando superar a tal música.
Aí aconteceu que no começo deste ano, a coreo ganhou sinal verde pra ir pra festiva e eu fui convidada a dança-la.
Dançar 'A' música.
Dançar flamenco.
Dançar a coreo pelo qual tinha chorando litros...
Nem vou descrever como eu fiquei quando a professora me fez o convite... Acho que eu só não saí gritando como doida, porque eu estava chocada demais pra gritar. Mas o que senti suplantou qualquer emoção de muito tempo... Bem, quem leu aquele post em que eu falava da música deve entender um pouco.
Agora estou as voltas em pegar a coreografia, em me acostumar com a saia, pegar os trejeitos. Dificil, e eu me sinto atrapalhando o grupo na maior parte do tempo (meu lado eu-não-sirvo-pra-nada-só-atrapalho-que-eu-to-fazendo-aqui? que surge la de vez em quando). Mas continuo empolgada apesar das recaídas de auto-estima.
E é flamenco!!!- misturado, mas mesmo assim, flamenco!- Flamenco apaixonante, flamenco gritante. Se a palavra da Dança do ventre é feminilidade, a do flamenco é paixão com toda a certeza. Paixão física, emocional, nua, crua, soberba. Quem não sente o sangue pulsar mais forte nessa dança?
Magia.
Existe um bocado de magia no flamenco. Magia, misturada à paixão, com uma pitada de tradição. O resultado é uma dança tão marcante que é impossível não querer sentir o gostinho um dia... Eu estou adorando aprender um pouco,mesmo que numa fusão. O toque está lá. O calor também. O ritmo...
E sentir uma pitada disto não tem preço.
Dançar esse calor, é uma extensão de toda a magia...
.

* Trilha Sonora do Post: A Mi Manera , Gypsy Kings *

6 comentários:

  1. yeah! Flamenco rules!
    adoro!
    e, deixe o 'aire' fazer parte da sua dança...veja Sara Baras para inspirar-se e manda ver!!
    e quando os momentos 'que que eu to fazendo aqui' chegarem, mande eles embora do mesmo jeito que vieram! se sua professora deu a oportunidade, é porque confia em vc! siga!
    =]

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ket!

    Que bom que gostou do novo post, mas eu mesma achei meio mal escrito, rsrsrs... Sei lá.

    Conheço mto pouco sobre Flamenco, vi alguns vídeos no Youtube. Talvez eu tenha que conhecer um pouco mais, pois não foi algo que me atraiu tanto. Com um pouco mais de disponibilidade vou analisar os vídeos melhor, eheheh. Sempre bom conhecer um pouquinho de tudo.

    Beijos, lindinha!!

    ResponderExcluir
  3. Não conheço muito sobre flamenco tbm...mas tacho encantador! Participei de um workshop de dança tribal esses dias e aprendi uns giros do flamenco...lindoss e que ameii!

    Ohwnn! Tbm adoroo vir aqui, mocinha! =D
    Sabe que eu tenho uma big curiosidade de te conhecer moça! vc deve ser beemmm bacana! =D

    beijoooss e queijoss tbm!! haha
    ;**

    ResponderExcluir
  4. Oi, flor! Larga dessa coisa de "estar atrapalhando o grupo" que eu sei que vc é boa pra carai e isso não dura meio mês. O corpo precisa de tempo pras coisas, atropela ele não.
    Vou querer muito ver essa coreo, viu?
    E qto às oscilações de humor, infelizmente é um ônus do feminino. A única vantagem é que sempre passa. Apesar de que volta depois. E passa outra vez. ><

    Beijos

    PS: Só pra tu morrer de inveja - tô escrevendo do computador da Luana Mello - e ela é uma pessoa mara.

    ResponderExcluir
  5. Olá... acompanho o seu blog e nunca comentei, que coisa feia não é.

    Sobre o texto do dia da mulher que você roubou no meu, tudo bem, eu me apaixonei quando li ele também.

    Obrigada pelo elogio... é lindo, mas da um trabalhoo.

    e sobre a sua dança... eu tenho mais do que certeza de que vc vai conseguir, e vai arrebentar.

    um grande beijoo

    ResponderExcluir
  6. Ah, não entendo nada disso... Mas estou aqui a espera de uma aula e passei aqui para deixar um "hey!".

    Um beijo, garota.

    ResponderExcluir

Faça uma pessoa feliz e comente esta postagem!
Saber a opinião de um leitor é muito importante pra que a gente saiba se o blog está legal ou não =)