Páginas

31 de jan de 2008

falando sozinha

Que acontece com a gente quando começamos a ir atrás de músicas que um dia tocaram e que agora estão meio esquecidas?
É nostalgia isso?
Não acredito que eu fui atrás de 'Aonde você mora' do Cidade Negra. E eu nem gosto de Cidade Negra!
Mas de alguma forma estranha, hoje senti saudade dessa música.

carai...

30 de jan de 2008

O livro e a Irlanda.



Eu juro que no dia em que puser os pés nesse lugar, não arredo nem a pau.
Não só porque é mágico, ou porque a cerveja é muito boa, ou o sotaque derrete [ derrete, de uma forma alucinante]. A Irlanda é um conjunto de coisas. Boas e mais ou menos que me deixam... assim... boba, apaixonada.
Apaixonada. É, acho que como eu me sinto em relação a ela.
E eu conheci a Irlanda por causa de um livro, um romance desses leves e gostosos, da escritora americana Nora Roberts.
Essas coisas de destino sabe? [Sim, você sabe, eu sei que você sabe...]
Eu não tinha nada para ler. Milhares de livros numa biblioteca enorme e nada que me agradasse. Eu sou uma chata em matéria de leitura, pouco me agrada, muito me deixa curiosa. E naquele dia, nada servia.
Ele estava na prateleira principal. Bem vermelho, um pouco brilhante, de bom tamanho. E tinha uma figura indefinida a distância, mas que revelou-se uma fada desnuda de perto. "Diamantes do Sol", Nora Roberts...
Capa bonita, título interessante, autora desconhecida. Por que não?
Devorei em um dia.
E quis mais de Nora, quis mais da Irlanda.
Talvez por ter sangue irlandês nas veias, Nora tenha herdado o dom antigo de contar histórias e enchê-las com uma magia especial. O que era pra ser somente mais um romance água com açúcar, era na verdade um conto de colinas, lendas, fadas e destino. E desenhava uma terra bonita, de pessoas de passado interligado, vivendo o presente, mas sem nunca esquecer do passado cheio de mistérios.
Roberts desenhou a Irlanda com as palavras [na verdade apenas uma pequena parte dela, mas foi suficiente] e eu me apaixonei!
E nunca mais larguei. E isso aconteceu há... Uns 3, 4 anos.
Agora só os planos.
Não importa que demore um pouco, mas um dia eu vou andar por lá. E como manda o figurino, vou provar da Guinness, vou andar por colinas e vou visitar o passado.
E depois... quem sabe não parar pra sentir o vento para sempre naquelas paragens?
é uma idéia.

chochação de msn

30/1/2008 01:14:35 Ket: esse cara é gay..rsrs
30/1/2008 01:15:05 Beth: que cara?
30/1/2008 01:15:12 Ket: o do filme O Fantasma.
30/1/2008 01:15:13 Beth: o marido da Rose de titanic?
30/1/2008 01:15:26 Ket: yeaph
30/1/2008 01:15:31 Beth: Nooooosssaaaaaaaaaaaaa
30/1/2008 01:15:43 Beth: é mermo?
30/1/2008 01:16:10 Beth: eu sempre ouvi dizer que o Reeves tumen era
30/1/2008 01:16:36 Ket: éco..mas o Keanu não é?
30/1/2008 01:16:44 Prii s2 Willows s2: Nopsssssssss meo Neo nops é nops
30/1/2008 01:17:02 Ket: A Queen Latifa é..e eu nem sabia.
30/1/2008 01:17:12 Beth: Noussaaa
30/1/2008 01:17:15 Beth: é mes?
30/1/2008 01:17:34 Ket: rsrsrsrs
30/1/2008 01:17:38 Beth: o Marco Nanine é
30/1/2008 01:17:44 Ket: serio??
30/1/2008 01:17:57 Prii s2 Willows s2: Quen?! sempre achei q ela gostava de homen?! O.o
30/1/2008 01:17:58 Beth: o Victor Fasano tbm
30/1/2008 01:18:05 Prii s2 Willows s2: Oh toh passada!!
30/1/2008 01:18:12 Prii s2 Willows s2: [Bethy num exculaxa né.. hsuahsuahusihauis]
30/1/2008 01:18:19 Beth: to falando sério
30/1/2008 01:18:30 Beth: o Victor e marco nanini
30/1/2008 01:18:31 Ket: o Victoor??
30/1/2008 01:18:33 Ket: nãão?
30/1/2008 01:18:35 Ket: serio?
30/1/2008 01:18:38 Beth: yes

..........................................

e depois só piora.
Adoro papos construtivos.

29 de jan de 2008

citando...

"I have a problem with authority. I choose men who are emotionally unavailable. I'm self-destructive. All of the above."
(Sara Sidle)

temos muito em comum.

28 de jan de 2008

Era uma vez uma menina que escrevia por tudo.
Até na parede.
Aí sua mãe cansada de ter que gastar sabão pra limpar a parede todos os dias mandou a menina escrever em um lugar em que não causasse tanto estrago.
A menina criou um blog.

E viveram felizes para sempre.
Ou quase.