Páginas

27 de dez de 2008

Últimos Dias

- Li os 4 livros da saga Twilight -mais ou menos 450 páginas cada um- em uma semana e meia.
- Consegui ouvir 'a' música uma vez, sem cair em prantos- grande vitória!
- Testei o tal controle na aula. Hum, até que deu certo.
- Torrei meu salário, não sei onde e como.
- Voltei a ter insônia- sim, tem relação com um vampiro.
- Decidi não desistir de quem me faz bem. Por nada.
- Fui tomada por uma inspiração intensa. Charlotte está tomando formas na minha cabeça.
- Assisti Crepúsculo e sai decepcionada com os homens do lado de fora.
- Assisti Crepúsculo e entendi porque Pattinson é a coisa mais gostosa do momento.
- Assisti Crepúsculo e fiquei mais irrevogavelmente viciada.

Pra uma quinzena, é o bastante.

20 de dez de 2008

No Player

Twilight está literalmente bombando no mundo inteiro- para bem e para mal- e eu estou acompanhando, claro. A coisa está histérica. Salas lotadas, edições esgotadas nas livrarias [adorei essa parte!], propaganda em cada ponto do país, a ala feminina caindo apaixonada por Cullen [no livro e no filme], a ala masculina por sua vez caindo de amores por Kristen Stewart e os meios de comunicação tomados.
Literalmente.
Hum, mas o post não é crítica ao filme [que vou ver amanha \o] e sim sobre a Trilha Sonora. Post musical.
.
Apaixonada por música como sou, não demorou pra eu conferir a Trilha desse fenômeno literário/cinematográfico.
O sountrack é o terceiro CD de Trilha a ficar em primeiro lugar no Top 200 da Billboard de 2008 [sucesso pouco é bobagem] junto com Mamma Mia! e Juno.
Opinião pessoal: é extremamente gostoso de se ouvir.
'Supermassive Black Hole', da inglesa Muse abre a trilha com uma batida toda sexy. Impossível não mexer ao menos o pé no compasso. Segue com Paramore e sua 'Decode', música oficial do filme. Interessante é que Halley, vocalista da banda, ao saber que filmariam o livro do qual era fã, jurou de pés juntos que teria uma música sua na trilha. A moça foi desacreditada totalmente mas lutou até conseguir. E Decode se tornou a música oficial do movie. Pessoalmente é minha preferida do CD, melódica, umas notas bacanas e a letra que combina com os sentimentos da protagonista.
A também banda inglesa The Black Ghosts segue com Full Moon, música que abre o filme e acompanha Bella em sua mudança a Forks. Boa, muito boa.
Depois de um tempo out, Linkin Park voltou com uma música realmente decente. 'Leave Out All The Rest' é do tipo que você ouve direto, sem falar na letra linda e totalmente depressiva. Cabe totalmente nos momentos angustiantes de alguns personagens. Posso ouvi-la por hoooooras.
MuteMath, Perry Farrell, Collective Soul, Blue Foundation e Iron & Wine adicionam ao disco melodias ecléticas. Não conhecia nenhuma mas, adorei todas. Nada convencional, nem pop demais ou da moda. Só músicas muito boas, com letras melhores ainda que te fazem curtir cada nota.
Duas bacaníssimas: Bella's Lullaby, instrumental de Carter Burwell figura com a música que Edward compõe no piano para Bella. Linda de morrer me fez voltar para a cena que é uma das mais bonitas do livro. E 'Never Think' , composta, tocada e cantada por Rob Pattinson, protagonista da trama. Pessoalmente, me apaixonei por essa assim que ouvi. O cara é lindo de morrer, mas é a voz que me deixa maluca. Sussurrada, rouca, arrastada e triste.
Me abana!
Em resumo um CD muito bom e com músicas igualmente muito boas. Do tipo que vale a pena o dinheiro. Sabe do tipo badaladinho que você pode ouvir por horas? Esse mesmo.


Pra baixar o CD todo e conferir, AQUI

6 de dez de 2008

'When you can live forever... What do you live for?'



Ao ler a contracapa desse livro bonito, julguei Crepúsculo (Twilight), de Stephenie Meyer, como mais um daqueles livros de trama juvenil cheio de clichês e personagens americanizados. Bom pra passar o tempo. Mas não pra se ter na estante.
Descobri depois de ler o primeiro capítulo que, Crepúsculo pode ser tudo, menos enfadonho ou clichê.
É fantástico. Literalmente fantástico...
O livro de estreia dessa americana de Connecticut abocanhou títulos como 'Bestseller' do New York Times, 'Melhor Livro do Ano' do Publishers Weekly, 'Best Book of the Decade...So Far" da Amazon e conquistou milhões de fãs em um espaço de tempo tão curto que já está sendo considerado o substituto da saga inglesa de J.K Rowling, Harry Potter. Sendo uma fiel fã de HP desde o tempo das cavernas, não acho que chegue a tanto, mas também, não fica pra trás. E isso é deveras notável. Crepúsculo mescla romance, mistério e sobrenatural à personagens bem desenhados e interessantes. Isabella Swan é uma adolescente de 17 anos que, ao se mudar para a cidadezinha remota de Forks sua vida ficar de pernas pro ar ao se deparar com Edward Cullen. Lindo como um anjo e misterioso como um demônio, ele pode ser tudo, menos normal. E ao tentar descobrir o segredo de Cullen ela se depara com algo inimaginável: ele não é humano. Tampouco está vivo. O cara por quem está perdidamente apaixonada é um imortal vampiro.
Soa clichê, não? Mas a escrita de Meyer é tão clara, inteligente e gostosa de acompanhar, que o livro se torna único. (Palavra de quem leu o calhamaço de 416 páginas em pouco mais de vinte e quatro horas).
Um das coisas mais bacanas no estilo de Stephenie, é que sua narrativa nos leva do cômico ao trágico em segundos, para logo depois nos colocar de volta em meio a felicidade ou esperança protagonizados por Bella e Edward.
E o mais incrível. Ela nos faz sentir tudo... O hálito gelado de Edward passeando pela pele alva de Bella, nos parece íntimo, o ar húmido e chuvoso de Forks parece estar sobre nossas cabeças, o pulso acelerado de Bella, parece nosso. Quando um autor (a) consegue esse mérito, a aclamação é pouca. Meyer sabe escrever. E o faz de forma maravilhosa.
Crepúsculo se transformou em saga e fechou a trama com mais três livros de estrondoso sucesso 'Lua Nova', 'Eclipse' e 'Amanhecer'. (Os dois últimos com previsão de lançamento em solo brasuca só em 2009 =\). E como sucesso pouco é bobagem, o longa do primeiro volume estreia por aqui agora dia 19 de Dezembro, acumulando na bagagem uma bilheteria que superou '007' nos EUA.
Provas de que uma imaginação fértil e uma escrita boa podem tudo. E Stephenie Meyer tem isso tudo de sobra e muito mais.
Recomendadíssimo.
.
"Quando a vida lhe oferece um sonho muito além de todas as suas expectativas, é irracional se lamentar quando isso chega ao fim"
.
"Por quase noventa anos andei entre os meus, e entre os seus... O tempo todo pensando que eu era completo comigo mesmo, sem perceber o que procurava. E sem encontrar nada, porque você ainda não estava viva".
.
“Minha mente ainda estava rodando, cheia de imagens que eu não conseguia entender, e algumas que eu lutei pra reprimir. Nada perecia estar claro no início, mas quanto mais perto eu chegava da inconsciência, mais algumas coisas se tornavam evidentes. Sobre três coisas eu tinha certeza absoluta. Primeira - Edward era um vampiro. Segunda- havia uma parte dele- e eu não sabia o quão poderosa ela poderia ser- que tinha sede do meu sangue. E terceira, eu estava incondicionalmente e irrevogavelmente apaixonada por ele”.
.
Trailer Oficial do filme, aqui.

26 de nov de 2008

Do Momento

Oyuni é das músicas que me faz sentir tudo...

Transbordar. Afogar. Desaguar.

Oyuni me faz chorar...
E isso muda tudo...

13 de nov de 2008

A Saga da Solista- Quando Você Pira Totalmente

Então, seguindo a viagem pelo solo, paramos no dia em que na piração total troquei o Baladi de Fairuz por Yasamina. Certo?
Errado.
Como? Assim... Lá estava eu empolgada com minha nova música. Era linda, era clássica, era emocionante. Subia e descia, me dava muitas possibilidades de passos, exploração de palco e me deixava feliz. Alegre mesmo. Então eu só precisava coreografá-la e pronto, um solo saindo quentinho do forno.
Sabe quando dizem que quando é fácil demais é porque tem algo de errado? Passei por isso.
Eu fui uma preguiçosa de marca maior... Tinha meses pela frente, muitos dias, horas vagas diversas pra coreografar...que tal deixar pra amanhã? Eu deixei. E deixei e deixei... Até que um belo domingo chega a chefa mor: '-Ket fica mais um pouco que quero ver teu solo.'
'Hã, solo? Que solo? Ai meu Deus eu não coreografei nada!!!! E o que fiz tá tenebroso.'
Muito bem feito pra mim, mas bem feito mesmo.
Então, mesmo tentando fugir [vesti a roupa, peguei a bolsa e sai de fininho do vestiário, mas ela me pegou bem na saída] não deu. Encarei mostrar pra ela o que tinha feito- ou melhor, não tinha feito. Na boa? Foram cinco minutos angustiantes. Quando acabei ela me olhou perplexa e soltou:
-Mas o que é que tu fez????
Juro que quis me esconder. Nem força pra juntar meu orgulho ferido tinha, porque o erro fora total meu. E ela continuou falando. Que eu estava meio pirada, que meu solo de antes estava perfeito, que minha leitura deste estava mil vezes inferior e que eu estava numa enrrascada. Literalmente.
E sabe, ela estava certa em tudo.
Então ela me me mostrou as possibilidades, explorações novas e me fez testá-las. [Nunca duvide da palavra de uma coreógrafa premiada. Ela sempre sabe do que está falando e você não vai querer duvidar.]
De repente senti uma saudade imensa do meu baladi, de suas marcações, de sua melodia e sua
leitura que conhecia de trás pra frente. Yasamina se tornou agoniante e eu corri pra casa ouvir a música antiga e ver se ainda havia tempo de salvar a situação [um mês para o espetáculo]. Uma corrida contra o tempo, era nisso que meu solo havia se transformado.
E sabe, quase tive de rir no fim das contas. Porque de repente fiz em duas semanas o que não havia feito desde o começo do ano. Ouvi, coreografei e terminei o solo.
Situação totalmente pirada.
Bom, agora faltando um pouco mais de uma semana é a expectativa que me consome. O frio e o medo da estreiar sozinha no palco... Estou muito acostumada com o grupo, dançar acompanhada é familiar e fácil. Agora, assumir a responsabilidade de uma música inteira sua, com todas as atenções voltadas para o seu trabalho é totalmente diferente.
O que eu sinto? Acho que em primeiro lugar medo. De errar, de não me expressar bem, de esquecer tudo, de travar. E depois orgulho. Orgulho do que fiz, da coreo que bolei sozinha, do meu esforço - mesmo que de última hora. E tudo se mescla e se transforma em emoção. Me emociona ter minha dancinha feita e prontinha pro palco. Ainda mais quando penso que meu caminho nem é tão grande e estou ainda engatinhando.

Ah eu tô... feliz com todo o espetáculo e esse meu novo passo.
E me faz bem compartilhar mais esse pedaço com vocês.

28 de set de 2008

Cigana Vermelha

* vou reciclar post, só pra essa semana. Esse textinho foi um dos primeiros que escrevi e é especial para mim por alguns motivos. Já venho com algo novo*




"Ela dançava ao som das batidas. No ritmo das palmas. No crepitar da fogueira.
Não tinha nome, não tinha lar. Era desconhecida, viajante e no momento adorada. Surgia sem aviso, sem pressa, onde quer que o vento a levasse.
Devagar ela se movia entre eles, tão mortais e perdidos, com pés leves e mãos desenhistas. Seu corpo era longo, sinuoso e brilhante, com cheiro de brisa, de estrelas e de noite. Uma noite pura e infinita como nenhum deles jamais veria.
Ao toque alto ela sorria e de seu sorriso brotavam faíscas que iluminavam a escuridão. Tão rubro e sensual era seu riso que agitava suas almas e fazia arder a chama além do fogo onde eles já não estavam mais. Estavam com ela, ao redor dela. Assistindo sua dança e seu feitiço.
Suas sedas e seus adornos roçavam as mãos secas inebriando-os com perfume e seus cabelos de ondas enrolavam-se em fitas longas que eles podiam tocar. Sua dança afagava-lhes o espírito ferido pelo deserto e como água, matava a sede de beleza, que há muito nenhum dele podia ver.
Dos quadris nasciam movimentos fluidos e vivos, por alto, por baixo, sempre cadenciados com o toque do instrumento levando-os a um delírio maior e mais profundo. Não havia toque que ela não interpretasse, não havia corações que ela não tomasse.
Era disso que vivia. De olhares, de paixão, de promessas que nunca aceitaria.
Eles a chamavam de cigana vermelha, e ela apenas sorria. Seria o que eles quisessem até que o sol nascesse. Eram seus, todos seus enquanto lá estivesse. Tão seus que ela podia senti-los dentro do peito como o sangue que corria rápido pelas veias.
E quando o horizonte começava a despontar, ela acelerava e dava-lhes seus últimos desenhos, seus sorrisos mais brilhantes e jogava-lhes um perfume mais doce, para depois desaparecer aos poucos nas areias levando seus véus, partindo para uma próxima noite enluarada.
Deixando-os eternamente enamorados.


Era livre e eterna enquanto existisse o ritmo.
Enquanto existisse a noite e a solidão dos homens..."

18 de set de 2008

'Children, Don't Stop Dancing'


Quando você deixa de ser só aluna do básico e se mete numa Cia ou um grupo mais avançado com obrigações e tal, surge o estresse.
Eu não imaginava lá quando comecei, que dançar também estressava. Achava que seria sempre bonitinho, sabe? Chegar, cumprimentar a profe -que você vê como deusa- fazer os passinhos, descobrir, se encantar. O primeiro ano foi assim, uma beleza.
Aí quando entrei na Cia, a coisa deu um giro completo. Dançar, em termos mais profissionais exige. Não é só bonitinho. É dolorido, é cansativo e sim estressa até a raiz do cabelo de vez em quando. Você passa a conhecer os defeitos das pessoas. Ninguém é só amiguinho... surge a competividade, um amontoado de fofoca - junta 12 mulheres pra você ver se o bicho não pega- opiniões que não batem, discussões por figurino, passos errados, fulana que não colabora, ciclana que me olha torto. Sem falar na pressão para que a técnica seja impecável e a dança apta a concorrer ou ser exibida para público.
Nas últimas semanas a dança tem sido meu ponto de estresse. O que soa irônico quando lembro que quando comecei era pra ser apenas divertido. O ritmo está alucinado, as coreografias exigentes e a professora tendo ataques. Duas ou três vezes eu cogitei jogar tudo pro alto e cair fora... Chega de não ter domingos, chega de piti, chega de confusão. Não quero mais esse problema.
Mas aí... a gente sempre respira fundo e persiste.
O que andei aprendendo nesses dias com esse desgaste todo?
Que trabalho bom, não é fácil. Que para haver reconhecimento adiante, você tem que ralar. Que mulher é bicho traiçoeiro. Que tudo que você disser poderá ser usado contra você. Que você é feita de músculos, e que eles dóem muito. Que nada bonito sai sem antes ser testado, amassado, virado até ficar na forma perfeita. Então a gente aguenta porque realmente quer ver o resultado ou porque se apega à esperança de que vai melhorar.
Não to querendo assustar as iniciantes ou aspirantes a bailarinas/alunas/professoras. Só tentando passar com essa minha experiência que, se você quiser algo sério em relação à dança, não vai ser fácil. Não espere um mar de rosas, não espere colaboração de todos os lados, nem um caminho sem obstáculos. A busca pela dança perfeita está cheia de percalços... As pessoas são mesquinhas, invejosas e algumas não se importam de te dar o tranco para cair. E elas vão rir... Acredite.
Mas se você for um bocado persistente e estiver ciente da dificuldade, vá em frente. Como eu estou indo apesar dos pesares. É doloroso às vezes, mas também muito bom. E dançar é maravilhoso... É a isso que me apego sempre que desanimo. Em quanto é maravilhoso e o quanto eu me realizo dançando.
O resto, a gente encara.

*post ao som nostálgico de Don't Stop Dancing, do extinto Creed*

13 de set de 2008

Divas do Arabesque- Aysha Almeé

Postura perfeita, braços lindos, leve nos movimentos e um sorriso bonito.
Aysha Almeé é tudo de bom dançando.
O primeiro vídeo que assisti dela foi esse abaixo. De susto ela me lembrou algo da Lulu, na aparência e nos movimentos sem exagero, pequenos e bem feitos. Mas depois esqueci total a Lulu e vi apenas Aysha. Delicada, bonita, simpática.
Não há novidade na dança da Aysha. Ou pelo menos não te todo. Você vai encontrar outras bailarinas pro aí dançando no mesmo estilo. Mas ela faz um trabalho tão limpo e bom de se olhar que eu gamei na hora e continuei acompanhando. Às vezes o bem feito é melhor que o inovador e Aysha parece saber bem disso.

In da Diva: braços e mãos sempre lindos... Adoro.

Out da Diva: 'embromation' com véu.

Diva no Orkut

Diva no Multiply

Site da Diva

6 de set de 2008

Divas? Sim!

Eu tenho minhas divas de cinema, tenho as divas literárias [porque não?] e algumas da TV. Mulheres bonitas ou não, que admiro muito por uma série de fatores e que me fazem desejar ser um pouquinho igual.
E obviamente na dança isso também ocorre. Tava pensando ontem em quem são minhas divas da dança. Pensar em diva talvez remeta as bailarinas mais antigas e tal, mas elas não são minhas divas. Eu quase sempre sou do contra.
Sei um pouco sobre elas e suas influencias, reconheço tudo que fizeram pela dança, mas não vou mentir. Meu foco agora é nas atuais, nas que ainda posso encontrar pelo caminho e que influenciam na minha dança agora. Eu assisto a Naima Akef, mas não tenho nenhuma vontade de dançar como ela... Admiro, reconheço, aceito. Mas não quero. errada?
Tenho esse direito. Talvez daqui há uns anos pense diferente.
Ainda há tempo de me embrenhar nas raízes e descobrir a essência. Por enquanto vou aproveitar a fase de descobertas e gostar das que bem entender. Odeio aquela pressão que já por aí do tipo : Você pode admirar as novatas, mas ame as antigas. Elas são o que há. O resto é resto. Idolatre Samia Gamal. Não a Ju Marconato.

Eu vou idolatrar quem me der na telha, caramba.
E por isso vou catar meus videozinhos e contar minhas divas do Arabesque, para os próximos posts!

Ah e também o solo...uhuuu muita coisa pouco tempo. Quando abrir uma brecha eu posto sobre isso.

2 de set de 2008

Without A Trace

Troquei o Baladi de Fairuz por Yasamina.


Geez.

21 de ago de 2008

A Saga da Solista, parte 2- Quando o Certo Não é Certo

Então, no outro post eu contei sobre a busca maluca que tive de fazer por uns meses até achar uma música que combinasse comigo. De verdade, eu me apaixonei pelo baladi de uma maneira absurda. Nos primeiros dois meses eu ouvia o tempo todo, saía dançando, quase chorava. E via o tal vídeo da Maiada umas trocentas vezes ao dia.
Então tá.
Aconteceu que depois de achar a música e relaxar com isso, eu deixei de lado. Arã, pensei : bom, como é lá pra Novembro, quando for tipo Julho eu posso começar a coreografar. Certo.
Certo?
Não. Errado. Muito errado. Ferrou tudo.
Porquê?
Porque quando chegou Junho e minha professora tocou no assunto 'solo' a coisa se tornou meio...real. Sabe quando você só toma consciência quando vai mesmo acontecer? Então. E se meu solo iria realmente acontecer será que o baladi era mesmo a música certa?
Sim. Sim. Toda a dúvida e confusão sobre a música que eu tive lá no começo voltou...
E se o Baladi não fosse 'a música'? E se não ficasse legal? E se as pessoas não gostassem? E se eu não me emocionasse mais? [Deu pra perceber que eu sou a pessoa mais indecisa e insegura da Terra não deu? Sou mesmo, e logo eu fui me jogar num solo. Bah.]
Junho e Julho foram dois meses angustiantes. Pra mim que não me decidia [modifiquei quinhentas músicas, baixei mil CDs, ouvi tudo e experimentei dançar] e para as colegas de dança que todo fim de semana escutavam: 'Achei! Agora é sério sabe, ela é linda, assim total combina comigo.
Claro que no domingo seguinte eu já tinha escolhido outra.
Ah eu quase fiquei louca. Comigo mesma.
Então, depois de tanta indecisão, tantas horas de dúvida eu escolhi!
... Voltei pro Baladi de Fairuz.
Não é piada. Juro.
Todo mundo meio que quis me matar claro. Mas no final, acho que gostam de mim, porque só respiraram fundo e murmuraram um 'ai meu Deus'. =p
O negócio foi que, se eu tinha me apaixonado pelo baladi lá na primeira busca é porque era a música certa.
It's over.
E eu comecei a coreografar. Tudo muito bem, tudo indo...
...
Vai sonhando. Quando comecei a coreografar, descobri mais um 'distúrbio de Ket'. [Eu juro que se esse solo chegar em Novembro lindinho, apesar de todos os percalços, eu solto fogos!]

12 de ago de 2008

A Saga da Solista, parte 1 - Em Busca da Música Perfeita

Eu tenho o blog há sei lá, uns meses. Fico aqui tagarelando sobre DV, sobre o que aprendo, o que não aprendo, sobre todo esse mundo e tal. E essa semana ao pensar num post me dei conta de que nunca mencionei aqui uma das coisas mais importantes na vida de uma bailarina e que está acontecendo comigo.

Este ano sou solista.

E sei lá porque cargas d'água nunca postei sobre isso. Ou talvez eu saiba. Ou não. Enfim, mencionado, vamos a questão.

Isso ficou decidido bem no começo do ano, em um uma reunião da Cia. Passado o susto inicial começa o trabalho. Música. Logo eu que me apaixono por uma música diferente todos os dias e imagino todas sendo dançadas, precisava decidir por uma. UMA. Tristeza isso...

Uma clássica? Não, longas demais. George Abdo? Não, mais impacto. Derbak? Nãããão. Moderninhas? Nunca. O que eu posso dançar?

Taxim. Baladi. Taxins que escorreguem pelo corpo e baladis que explodam no palco. Isso me faz vibrar sempre que ouço, me emociona a ponto de chorar. Sempre fui apaixonada por esse estilo de música, talvez de tanto assistir as argentinas e ouvir Mario Kirlis... uma das coisas que mais me encanta na dança das diosas argentinas é a maneira com que interpretam os taxins e baladis e como esse tipo de música parece fazer com que as pessoas vibrem junto - Eu sempre vibrei com elas.

Decidido então o tipo, faltava a música. Coisa básica.

O problema com os baladis argentinos é que eles sempre são mais majestosos ao vivo do que nos cds, onde ficam um pouco apagados, sem tanto poder. E eu queria algo poderoso, que provocasse uma reação bacana e mexesse comigo. Assisti vídeos incontáveis, ouvi diversos baladis diferentes, conheci um punhado de bailarinas ótimas e ruins. Mas o que eu procurava mesmo, parecia não existir.

Mas existia. Passeando pelas argentinas -como sempre- me apaixonei pela Princesa Maiada e fui assistindo tudo que encontrava sobre ela, até chegar a um de seus baladis.

Quase chorei... Me apaixonei na hora. Finalmente tinha encontrado a MINHA música!

Acho que quem já passou por isso sabe como é. Quando você encontra a que mexe com cada nervo do seu corpo, que faz cada pedaço vibrar! É muito bom.

O nome é 'Baladi de Fairuz' e há uma versão muito bacana, mais lentinha e esta do vídeo, que foi a que escolhi. Primeira parte do trabalho, feita. Demorada, mas concluída!

...Eu nem imaginava que o depois era muito mais difícil!

30 de jul de 2008

O Faraó e a Dança

Rapidão, cite o nome de um faraó do Antigo Egito.

Tick, tack, tick, tack.

Duas em três que você pensou em Ramsés - ou Tutankamon.
Dá nada não, eu também pensei [e Cleópatra, seguida por Nefertiti se me questionassem sobre a Rainha].
Pois então, eu sempre tive curiosidade de saber o porquê de Ramsés ser tão lembrado na cultura egípcia e sua memória venerada por tanto tempo, mas acabava sempre deixando pra depois, depois e depois. Mas semana passada quando tirei uns dias de folga e resolvi me dar o prazer de uma ótima leitura dei de cara com uma série bem interessante. ‘Ramsés’ de Christian Jack é composta por cinco volumes, que contam em forma de romance toda a vida de um dos faraós mais amados e venerados do Egito. Os testes que passou para chegar ao trono, seu medo de nunca ser como o pai Sethy, seu coração dividido entre duas mulheres fascinantes e apaixonadas e a luta pela vida em um Egito onde o assassinato esperava em cada corredor. Terminei o primeiro volume, ‘O Filho da Luz’, totalmente fisgada. O assunto já é interessante, e quando narrado de forma tão rica torna-se muito mais apaixonante.
Dois trechos em especial, me chamaram bastante atenção, porque descrevem de forma muito verdadeira a Dança do ventre - ou uma de suas facetas - daquele tempo. Eu digo verdadeira, porque bate com tudo que já pesquisei sobre o assunto na época e região.
Só pra dar um gostinho, cito abaixo um desses trechos. Se gamarem, está indicadíssimo. ;)

(...) Não era uma recepção vulgar; várias jovens de excelente família, ensaiadas por uma coreógrafa profissional, tinham decidido mostrar os seus dons para a dança. Ramsés chegara tarde, não querendo participar dos banquetes; sem querer, encontrou-se na primeira fila dos numerosos espectadores.
As doze dançarinas tinham escolhido exibir o seu talento nas margens do vasto espelho de água onde desabrochavam lótus brancos e azuis; archotes presos na ponta de longos suportes iluminavam a cena.
Vestidas com uma rede de pérolas sob uma curta túnica, com uma peruca de três fileiras de tranças, adornadas com longos colares e pulseiras de lápis-lazúli, as jovens esboçaram gestos lascivos; leves, bem coordenadas, inclinaram-se para o solo, estenderam os braços a invisíveis pares e enlaçaram-nos. Os movimentos eram de uma lentidão deliciosa e os espectadores continham a respiração.
De repente, tiraram a peruca, a túnica e a rede; com os cabelos presos num chignon, seios nus, vestidas apenas com uma tanga curta, martelavam o chão com o pé direito e depois, formando um conjunto perfeito executavam um salto escarpado para trás que provocou exclamações. Curvando-se e inclinando-se graciosamente, realizaram outras acrobacias igualmente espetaculares.
Quatro delas destacaram-se do grupo e as outras cantaram e marcaram o compasso batendo com as mãos. As solistas, arrastadas por uma antiga canção, louvaram os quatro ventos saídos dos pontos cardeais. Iset, a Bela encarnava o doce vento do Norte que nas noites tórridas permitia aos seres vivos respirar. Eclipsou suas companheiras, visivelmente satisfeita por captar todos os olhares
(...).
[Ramsés, O Filho da Luz - Christian Jacq].

27 de jun de 2008

[H]

Sem House por hoje.
Só porque eu precisava de uma daquelas doses de humor negro que só ele sabe proporcionar...

24 de jun de 2008

...



A dançarina é um membro musical da Orquestra.
(Hossam Ramzy)

9 de jun de 2008

Sobre Ansuya


Então eu vi.
Era pra ser algo muito uau? Era, mas não foi.
Que dizer? A moça tem aquele estilo dela, aquela coisa diversificada de uma Superstar. Nada a mais nem a menos. Entrou girando há uns 4 km/h em meio a cabelos e véus. Mas bem. Daquela forma que poucas conseguiriam fazer. Girou bastante, saiu com snujs, poucos sorrisos, muito equilíbrio, tremidos de peito, braços bonitos, voltou para snujs, chão, véu, um ou outro passo esquisito.
O que você vê nos vídeos. Dançou quatro músicas agradeceu e saiu. Fim.
O que ela tem a mais do que uma dúzia de boas bailarinas dessas bandas?
Nome.
Só isso. Não to dizendo que a moça não seja boa, só que, tirando todo o lance de ela dançar com as Superstars ela é uma bailarina com boa técnica que poderia dar aulas tranquilamente por aí. Dessas que encontramos às vezes. Aí eu fiquei pensando enquanto ela girava pelo palco: se fosse pego um terço de tudo que foi gasto para termos Ansuya e fosse usado para trazer umas duas boas bailarinas brasileiras renderia mais. Nós temos mais, nós temos maravilhas!
Uma pena que às vezes o que conta no currículo é 'eu vi uma celebriti di catiguria dos EUA'. Uma pena mesmo.
Mas enfim. O jantar foi uma beleza, eu dancei no meio de uma roda de árabes, me deleitei com o narguilé e ouvi a maravilhosa Layali al Shark com seu derbakista fabuloso (e ainda é bonito! Pode?). Mas o melhor foram os árabes. Engraçadíssimos, festeiros e galanteadores. E aquele sotaque... maravilha!
Ansuya?
Eu vi. Foi bom. Mas nada que valesse todos meus camelos...

22 de mai de 2008

Nota

Juro que vou voltar a falar sobre Dança do Ventre.
=p

Saindo do Luto

Ah eu sou GSR e não desisto nunca!
A gente sofreu, a gente chorou, ficamos pra morte quando ela deu no pé de Vegas em 'Goodbye & Good Lock' deixando 8 anos de perícia para trás e um Grissom transtornado. Mas nunca deixamos de acreditar, como boas fãs melosas que somos, que ela voltaria.
E eu nem me importo que a fonte seja Michael-babaca-Ausiello... Se até a Powerpuff Girl Carol Mendelsohn confirma, quem de nós pode duvidar?
E ainda há uma vã esperança de termos negão de volta...
Acho que não consigo desaparafusar o sorriso bobo da cara =D

18 de mai de 2008

LUTO

Custava ter feito uma saída descente para o personagem?????? Precisava ser assim????

CSI- Las Vegas perdeu esta semana a 'pedra do time'...

video

Luto pelo negão criminalista mais lindo de Las Vegas.

Que injusto. Me acabei de chorar agora quando soube. 8 anos amando esse cara... :(

14 de mai de 2008

Pra Viajar


Uma coisa boa no meio de tanta merda.
Achei um livro que me faz querer atravessar a noite.
Cavoquei os 'saldos' da Feira do Livro que está acontecendo aqui na cidade e achei Minos por R$ 10,00. Sim, juro. (Aí só pra saber, fui olhar na net e na Submarino tá R$ 50, =p adoro essas coisas). Assassinatos, um serial killer, uma detetive - adoro romance com mulher mandando na bagaça. Se estiver armada fica mais emocionante ainda - uma trama bem armada e tá feita a festa.
Não conhecia o autor, nem sabia do livro, mas olhando agora parece que a detetive Romilia Chacón (sim, uma latina, também gostei disto), já é protagonista de três livros do gênero. Neste, o segundo, ela se vê as voltas com Minos um serial Killer que age como o demônio mítico do Inferno de Dante, levando suas vítimas aos círculos do inferno e que seis anos antes assassinara de forma cruel a irmã mais velha de Romilia.
Uma coisa que eu achei interessante é que o possível par romântico de Romilia é um traficante que ela está tentando prender, o que torna a coisa complicada... E ele não é só um traficante de boca, é o manda chuva de um cartel de drogas poderossísimo. E eu que adoro uma melação, já estou imaginando como Romilia poderia ficar com ele. Não que ela queira, ou ele, but it's so cool!(Impossível não é. Quem lembra do final de Hannibal do Thomas Harris sabe do que eu falando. O livro, não o filme).
Aliás, Romilia é comparada a bem-amada de Hannibal, "Romilia Chacón é tão cativante quanto uma outra heroína do FBI, Clarice Starling. E tão vulnerável quanto."
Não sei. Clarice é diva mor de todas as policiais da ficção, não tem comparação...
Mas ainda não acabei. Quem sabe Romilia não seja tão boa quanto? Certeza só, de que Minos não será como Lecter.

13 de mai de 2008

Byron

"It's vaion to struggle, let me perish young..."

12 de mai de 2008

Uma menina, a Morte e os Livros Roubados

"Odiei as palavras e as amei, e espero tê-las usado
direito"
.
"Veio o verão para a menina que roubava livros, tudo
corria bem. Para mim, o céu era da cor dos judeus."
.
"A única coisa pior do que um menino que detesta a gente.
Um menino que ama a gente."

.
"Ele mexe comigo, esse garoto. Sempre. É sua única
desvantagem. Ele pisoteia meu
coração. Ele me faz chorar"
.
(A Menina que Roubava Livros- Markus Zusak)

Esse livro passou um mês na minha mesa. 30 páginas e estranhei a narrativa. Deixei pra outra hora.
Dia 1° de Janeiro, pós virada, eu estava um bocado triste e querendo ver o mundo todo cinza. E ainda não tinha nada pra fazer. Resolvi dar mais uma chance pra menina que surrupiava livros.
Não lembro de ter feito mais nada durante as horas seguintes a não ser uma pausa para dormir.
Foi incrível. Numa hora eu estava na página 30, na outra na 200. Logo estava acabado e eu lá com uma sensação de nostalgia sem tamanho.
Era fascinante. Era lindo.
É um desses livros que você ama ou odeia. Não há meio termo. Eu amei.
Amo.
Se eu tivesse que usar somente uma palavra para descreve-lo seria 'puro'. Puro como a neve antes de ser manchada pela guerra. Ele tem uma prosa cheia de sentimento, do tipo que faz o seu coração ficar apertado ou um sorriso bobo surgir na sua cara. Oscilar entre felicidade e tristeza. Capaz de te levar para a vida dos personagens e vê-los com uma clareza absurda. Caminhar ao lado deles, dormir e sentir o mesmo frio, a mesma fome, a mesma dor.
Dor... Em alguns momentos ela é tão real que te faz chorar. Chorar por Liesel Meminger, a protagonista que sem querer enganava a Morte e gostava de pegar livros sem pedir. Liesel que tinha um coração enorme para alguém tão pequena. Chorar por Rudy que só queria um beijo. Eu chorei muito por Rudy. No final você se pega desejando ardentemente poder abraçá-lo. E querendo que o beijo tivesse sido muito antes...
E a Morte, que narra a aventura de Liesel numa Alemanha desumana, parece tão camarada que você a convidaria para um chá se tivesse a oportunidade. Um chá onde ela lhe falaria sobre o medo que sente dos humanos e sobre as cores do céu quando alguém parte. Porque sim, o céu tem sempre uma cor diferente para cada alma. E ela observa cada uma com apreço especial.
É um livro que não se esquece. Daqueles que ficam gravados na mente e volta e meia surgem e te fazem sorrir porque valeu a pena... Valeu cada linha.

" três vezes a menina que roubava livros"

5 de mai de 2008

Top 5

Cinco coisas boas de se fazer em um dia frio pra caralho.
[Aham, eu vivo na Serra gaúcha. Aqui parace um dos Pólos no momento. Juro]

  1. Dormir
  2. Comer
  3. Tomar Café
  4. Ler
  5. Assistir TV

O feriadão foi dos sonhos.

24 de abr de 2008

Mulheres Históricas- Lady Godiva



Eu sou fixurada em personagens femininos dentro da História. De qualquer tempo, elas são instigantes. A figura feminina é instigante. Ainda mais quando se rebela contra as regras de um mundo machista e dita novos rumos para a humanidade.
Na História elas surgem em variadas épocas, dentro de todas as classes, lutando por diversas causas. Às vezes a hipocrisia tenta apagar seus nomes, mas elas sempre resistem, como boas e fortes mulheres que são. Ganham suas próprias linhas na história humana.
Viram mitos.
Há um tempo li sobre Lady Godiva e fiquei encantada com toda a aura de lenda que existe atrás de sua figura real. É o tipo de história que me faz pensar em filmes épicos, épocas antigas e castelos com muralhas. E na parte real, em uma mulher com um coração dentro do peito, não um diamante lapidado.
Eis Lady Godiva, histórica e lendária:


Godiva (1040?- 1080 ?) foi uma nobre anglo-saxónica que viveu em Coventry na Inglaterra. Seu nome significa 'presente de Deus'. Ainda jovem casou com Leofric, um homem de religião, mas com interesses muito obscuros que acabou por conseguir ser edil de Conventry, uma pequena vila em crescimento acelerado.
Diz a lenda que um dia enquanto cavalgava pela aldeia, Godiva deu-se conta da vida miserável e impiedosa que seu povo levava, em quase todo, culpa dos altos impostos cobrados por seu marido. Desesperada, Godiva implorou a Leofric que baixasse a cobrança dos tributos, de início ele se negou veemente, mas ante a insistência da mulher sugeriu algo que sabia que ela nunca ousaria fazer. Em troca da diminuição dos impostos, Godiva deveria cavalgar perante toda a aldeia, ao meio-dia, nua. Para sua surpresa, a esposa aceitou o desafio e a ele nada mais restou a não ser esperar e ver se ela de fato faria tal coisa.

Ao meio-dia de 31 de Maio de 1057, Lady Godiva surgiu acompanhada a cavalo por duas criadas, estas vestidas normalmente, uma de cada lado da dama. Ela trajava apenas os cabelos muito longos, que cascateavam sobre o corpo nu. Nada de tecidos ou mesmo jóias. Dizem outras versões da história que aos aldeões foi pedido que ficassem todos dentro de suas casas enquanto durasse a cavalada e o único homem que ousou espiar Godiva ficou cego.
Depois disso, sem ter como recuar Leofric retirou os impostos mais altos sobre o povo de Conventry.

Após a morte de Leofric em 1057, Godiva sobreviveu até ser registrada no livro de Domesday de William o Conquistador, e assim, é a única mulher a ter um registro como dona de terras após a conquista. Ela também foi lembrada com uma bela estátua em Conventry.




23 de abr de 2008

Ajeitando

O que vai rolar sempre na barrinha do Youtube aí do lado: Saida, Princesa Maiada, Shahdana, Mario Kirlis e Cia de Dança Via do Oriente. Dança do Ventre rulez...

Qualquer outro vídeo fora disso não é coisa minha! =p

La bailarina del templo

La ví bailando en la oscuridad, bailaba para si misma, y vive consigo misma.
La ví bailar y oí sus suspiros.
La ví bailar en silencio, bailaba sin música, sin melodía.
Bailaba sobre los ritmos del silencio asesino.
Bailaba sobre la luz de la extrema oscuridad.
Se movía de un sitio a otro.
Sin esposas ni ataduras,solo, existía ellay nada sino ella.
Dejó de moverse en la oscuridad, se sentó en el suelopara recuperar el aliento.
El aliento se agotóen el gran baile,el baile de si misma.

(Shokry Mohamed)

20 de abr de 2008

...


Chato

A criatividade e a vontade me abandonaram nos últimos dias...
Preciso de um café.

Rola na net

Coisa de e-mail =p
Esse gostei, lí antes de deletar como costumo fazer com todos [eu não leio e-mails, sou dessas chatas sem paciência mesmo]

FRASES MAIS FALADAS OU OUVIDAS ANTES DE MORRER:
  1. Corte o fio vermelho, eu tenho certeza.
  2. Pode subir que agüenta mais um.
  3. O que acontece se eu apertar esse botão?
  4. Vou acender um fósforo.
  5. Não toque em nada.
  6. Esse vai passar perto.
  7. Deixa comigo.
  8. Não puxe o pino.
  9. É uma cirurgia muito simples, já realizei milhares delas.
  10. Você não é homem para fazer isso.
  11. O que não mata engorda.
  12. Que é isso cara! Eu sou apenas o encanador.
  13. Vou te denunciar.
  14. Pode falar doutor, vou sobreviver?
  15. Esse avião tá descendo muito rápido.
  16. Agora só falta um
  17. Buraco? Que buraco?
  18. Atchim (dentro do armário)
  19. Vai que dá.
  20. Por ai não. Por aqui é bem mais rápido.
  21. Não se preocupe, eu sei nadar.
  22. Não se preocupe, eu sei muito bem o que eu estou fazendo
  23. Posso ver uma luz no túnel aproximando rapidamente
  24. Ou vai ou racha
  25. Fique calmo, vai acabar tudo bem
  26. Pode ir que não vem vindo carro
  27. Não é nada disso que você tá pensando, a gente pode explicar tudo
  28. Atira, atira, quero ver se você é homem
  29. Tudo bem mulher... Eu vou deixar você dirigir!

18 de abr de 2008

No Media

Loreena Mckennitt.



'Gravado nos Estúdios Real World com a apresentação de vários músicos de renome, An Ancient Muse, o sétimo álbum de carreira da cantora e compositora canadense Loreena Mckennitt, oferece um tesouro encontrado de instrumentos, da harpa, viela e acordeão à lira e nyckelharpa (um violino dedilhado da Escandinávia). '

Tesouro é palavra pequena pra este CD. Lorenna é divina e sua música é única... Juro que chorei em mais de uma faixa. É impossível não se emocionar e transbordar com 'The Gates Of Istanbul' ou 'Caravanserai'...

Ah, nem sei bem o que dizer. É ouvir e entender.

1 de abr de 2008

O Que As Argentinas Têm?

Esses últimos dias tirei pra conferir o trabalho de três:
  1. Saida
  2. Sahadana
  3. Lila

Tô boba. Não sei o que é, mas elas têm algo de muito diferente quando dançam. São poderosas e ao mesmo tempo levíssimas.

São de dar inveja. Adouroooo

28 de mar de 2008

Linger

But I'm in so deep. You know I'm such a fool for you.
You got me wrapped around your finger,
Do you have to let it linger? Do you have to, do you have to,
Do you have to let it linger?

Essa música sempre me deixa nostálgica. Com vontade de chorar. Com muita vontade de chorar.
Não sei porque, nunca descobri.
Me faz ter saudade de alguma coisa que eu não sei o que é. Só sinto.
E quero chorar.
The Cranberries tem a sutil capacidade de me deixar nostálgica. Sempre.

CSI- Shipper

O fofolete:



E o original:


Como diz o chefe aí "The Evidence Never Lies"
Depois de sete anos de evidências, temos o caso resolvido afinal xD Lindo esses dois juntos.

19 de mar de 2008

From States!


E esse ano tem gringa na área!
Ansuya vai dar o ar da graça em POA, agora em Junho.


Hum, será que eu vou, será que eu não vou?
Ela não é minha BDSS preferida. Aliás gosto muito pouco delas. Tiro duas ou três que não fazem cara de manequim/modelo. E é só. Ansuya está entre as que não me descem. Sei lá, ela é muito uau nos snujs admito, mas já viu dançado Saaidi?
Se esconde fia...
E a cara de dor?
Meda.

Tava pensando agora, quanto será que custa trazer uma dessas pra cá? Vai grana né não? Pode não dançar muito, mas se tem style deve custar os olhos da cara...

*babei nessa roupa dela. Nuss, pela roupa eu pagava!*

9 de mar de 2008

As primeiras músicas a gente não esquece

*Ao som de Hayyarti Albi*

A música é ponto chave na cultura árabe. De tantos fatores é se não o maior, provavelmente é um dos que mais chama atenção.
Há algo de muito diferente e mágico na música oriental árabe. [Música Oriental remete a toda a música do Oriente para mim, Indiana e afins. Por isso costumo usar o oriental árabe, pra especificar. Hum, eu gosto de ser clara. Ou só seja muito chata em relação a isso.]. Ela não é sob medida. Não segue padrões. Tem suas regras, mas regras livres. Nada de 'vamos seguir uma batida, sejamos ordenados caras, ou a moça alí vai se perder'. Não, ela sobe e desce, pára e continua, é feita de surpresas, de voltas, de idas e vindas.
Um espetáculo à parte.
As primeiras músicas árabes que ouvi foram aquelas que tocaram durante um tempo, há uns dez anos, nas boates e danceterias. Uau era meio que moda. Simarick do Tarkan [ei o melô do beijinho! Muaaachk], alguma coisa do Amr Diab e aquelas com batidão do CD Arabian Nights. Quem lembra?
Ah você lembra. Todo mundo lembra. Eu não conhecia a dança, mas adorava e saia remexendo e achando que com certeza uma 'odalisca' dançava daquela jeito. Depois claro, vieram Il Alem Allah do Amr Diab e todas as que tocavam em O Clone. Eram músicas legais e provavelmente foram as primeiras que muita futura bailarina ou apreciadora da música árabe ouviu na vida. Eu dentre elas. [Não que eu goste de lembrar de quando eu fazia algo como um básico-egípcio-com-cambrê-e-mãozinhas-esquisitas-do-lado. Na verdade também não gosto muito de lembrar da Jade fazendo isso. Ui ].
Meu primeiro CD realmente árabe adquiri no segundo mês na dança. Era bem legalzinho, com 13 faixas variadas [incluindo a bendita da Il Alem Allah] e gostosas de ouvir. Tocava o dia inteiro. Aliás tocou tanto que tive que jogá-lo fora porque era meio piratex e lascou todo, sabe como é. Mas antes de lascar havia passado para o pc, então ainda tenho as músicas. Das primeiras a gente nunca esquece. Deste CD em especial nunca esqueci de Tamaaly Maak, do Amr. Sempre achei, e ainda acho, linda, linda.
Uma coisa que nunca esqueci foi do que minha professora falou em uma das primeiras aulas. Algo como: "a primeira coisa que se ouve quando se faz dança do ventre é o bom e velho Tony Mousayek." Dito e feito. As primeiras músicas e o primeiro CD que comprei eram dele. Ya Hellow Ya Zein, Larguetek, Tiala Titamar [que agora não suporto], Zahma Ya Dunia... Uma pá de músicas bem batidonas que no começo eu achava que eram o uó do borogodó. Não que eu não goste mais do Tony, acho bacana e algumas músicas tem versões muito bem executadas por ele. Mas às vezes eu enjoo da voz do tio Tony. E quando enjoa é melhor dar um tempo.
Depois nem sei direito quais vieram. Baixei muitas, de todos os tipos, das mais clássicas às mais moderninhas. Derbaks e folclóricas.
Aliás achar música árabe é meio que um passatempo. Adoro aumentar a biblioteca e ter diversas versões de uma mesma. Sem falar que é pelo ouvido que a nossa base para uma boa dança começa. Entendendo a música o resto flui com muito mais facilidade. Tenho o costume de baixar uma música e ouvir diversas vezes até 'entendê-la'. Depois me arrisco a dançar.
A música Oriental Árabe em sí é viciante. Na boa, eu nem sei mais o que toca nas rádios ultimamente. Nem faço idéia das paradas de sucesso. Eu só ouço árabes. As pessoas até se assustam quando começam a falar comigo sobre música atual e eu olho com cara de hã? Como?
Já é meio que normal.
Mas é um desses vícios bons. Tenho amigas que não fazem DV, mas que mesmo assim adoram a música e ouvem diariamente [ei Lauren ;)]. Bom para elas, ótimo para mim que posso ouvir minha música mesmo quando vou dormir fora !
Minha preferência? Clássicas. Descobri há pouco tempo que sinto algo de muito diferente ao ouvi-las.
Mas isso já é assunto para um próximo post...

Muita música a todos!

5 de mar de 2008

Chochação da Quase Morte.

Chochação de Hoje: o dia que Ket conheceu Kill Babil, a esposa assassina.

03:01:53 ana3@ - Ket mostra seu blog para Babi
03:01:59 *Babi*- cade
03:02:01 *Babi*- q blog?
03:02:05 *Babi*- onde?
03:02:16 Ket- Ana quer que eu morraaaaaaaaaaaaaa?
03:02:33 *Babi*- Q BLOG?
03:02:37 *Babi*- É DO WARRICK?
03:02:40 *Babi*- MORREU
03:03:51 I love Rambo- ihhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
03:03:59 I love Rambo- acho melhor não mostrar
03:04:14 *Babi*- CADEEEEEEEEEEEEEEEEEE O BLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
03:04:21 I love Rambo- ixeeeeeeeeeee
03:04:28 I love Rambo- eu acho melhor Ket
03:04:32 Ket- Blog morreu
03:04:33 I love Rambo- vc redirecionar a Babi
03:04:54 I love Rambo- tadinho do blog
03:04:49 I love Rambo- isso mesmo
03:04:55 I love Rambo- kkkkkk
03:05:05 Ket- acabei de deletar o coitado.
03:05:09 *Babi*- ARABESQUE?
03:05:22 *Babi*- é esse?
03:05:30 *Babi*- achei um aqui q tem uma Ket
03:05:33 *Babi*- é vc???????
03:05:39 Ket- não...
03:05:56 Ket- ket não tem blog
03:06:11 *Babi*- é esseeeeeeee sim
03:06:15 Ket- não é!
03:06:19 *Babi*tem coisas de dança
03:06:24 I love Rambo- kkkkkkkkkkkk
03:06:32*Babi*- tm o link do forum GSR
03:06:40 I love Rambo- ihhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh/
03:06:40 Ket- o meu se chama 'cronicas de Babi e seu NeGão'
03:06:43 ana3@ - esse google
03:06:48 Ket- aaah é outra ket
03:06:51 Ket- so podeeeee
03:06:53 I love Rambo- KET MORREUUUUUUUUUUUUUU
03:07:10 *Babi*- mas calma não vi nada do negão
03:07:13 Ket- Ana! pq ? pq? pq?????????
03:07:31 ana3@- ha ela atualizou então
03:08:08 *Babi*- KET MORREU
03:08:15 *Babi*- mas calma
03:08:16 I love Rambo- coorree KET
03:08:18 I love Rambo- se manda
03:08:19 *Babi*- ainda to lendo
03:08:20 Ket- fui
03:08:28 I love Rambo- ihhhhhhhhhhhhhhhh
03:08:31 *Babi*- e vc vai me passar o endereço das outras falecidas
03:08:36 Ket- *to no Mexico já*
03:09:50 *Babi*- "Mas nem morta eu abro mão do meu negão de Las Vegas!"
03:09:53 *Babi*- MORREU
03:10:02 *Babi*- MANÉ SEU NEGÃOOOOOOOOOOO
03:10:06 *Babi- CARACAAAAAA
03:10:07 *Babi*- IÁAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
03:10:17 *Babi*- (SUPER GOLPE NINJA)


PS.: nenhuma blogueira saiu ferida desta conversa. Até agora.
PPS.: Alguns dados foram retirados por conterem conteúdo piricathal.
Tenho dito.

4 de mar de 2008

Música de Temperamento


Alf Leyla Wi Leyla me deixa maluca.
Sinto coisas toda vez que ouço essa música. Já chorei, já rí, já quase caí da cadeira ao ouvir sentada no pc e de repente tentar marcá-la sem levantar =p
Parece meio clichê gostar logo dela?
Dane-se
Sou clichêzuda mesmo!
A primeira vez que ouvi foi num clipe da Saida. [É aquele, dela de branco]. Foi meio que paixão a primeira 'ouvida' sabe? Era gigantesca. Era linda. Estourava e acalmava nas horas certas. Tinha um toque todo mágico.
Feita para ser interpretada com estilo e sentimento. Ela pede isso. Não menos. Já ví bailarina acabar com a música, porque não entendia o que Alf leyla pede. E convenhamos, ela pede com muita educação em cada nota. No estilo, é a que mais gosto. As marcações são boas, altas e a melodia está lá, flutuando na frente dos seus olhos. E ela fala com você a medida que evolui.
Vamos, pode me sentir? Olhe como eu posso subir e descer, não é difícil. Me acompanhe. Leia me. Com calma. E classe. Só peço classe.
Não tenho nível ainda para interpreta-la da forma que deve ser. Compreendo a música e entendo sua leitura, maaaaas ainda não. Acho que ainda falta muito kibe pra que eu possa desfilar pelas notas de Alf leyla... Quando eu me arriscar, quero que seja bem feito. Que me emocione e emocione os outros. Que faça juz a grandesa da música.

Alf leyla Wi Leyla merece uma interpretação grandiosa. Ela pede.
E com muito jeitinho...

2 de mar de 2008

Chochação de msn, parte 4

Chochação de hoje: O negão.


00:31:10 Cínthia- pq a Calleigh não pega logo o negão que não é negão e sim um morenão todo bom....
00:31:24 ○ -=Þ®¡¡ w¡££öw§=- vai saber essas mulheres são todas lentas
00:31:27 Ket- pq ele é meu oxi!
00:31:30 Ket- não pode não...
00:31:36 Þ®¡¡ w¡££öw§- ahhh aquele cubanooo!! Calor
00:31:40 Þ®¡¡ w¡££öw§- é seu?!
00:31:43 Þ®¡¡ w¡££öw§- sério?!
00:31:56 Ket- não o outro negão!
00:31:58 Þ®¡¡ w¡££öw§- nops sabia... desculpa! eu respeito o cubano dos outros!
00:32:16 Ket- péra..Bethy não usa o nosso negão pra outro negão!
00:32:51 Þ®¡¡ w¡££öw§- q tal as duas pararem de usar nosso Warrick para outro Negão?
00:33:32 Ket- Bethy ja viu o spoiler do 8x12?
00:33:57 Cínthia - NÃO...PERAE ...
00:34:08 Cínthia- tbem quero o cubano pra MInHEEEEE
00:34:16 Ket- pode ficar
00:34:32 Þ®¡¡ w¡££öw§- oxe abriu mão assim do Delko?
00:34:38 Þ®¡¡ w¡££öw§- ?! Huh
00:34:45 Þ®¡¡ w¡££öw§- tão facil, nem uma lutinha por ele?!
00:34:48- Cínthia- não uso mais negão pra ele, apesar que quero fazer tudo que faço com o negão com ele tbem...rsrs
00:34:48 Þ®¡¡ w¡££öw§- O.o
00:35:11 Cínthia- oxeente...nops...tbem quero ele pra EU
00:35:29 Þ®¡¡ w¡££öw§- mas Két disse pode ficar!
00:35:43 Ket- pode..avontade..é do Miami?
00:36:05 Cínthia- afix que preconceito...
00:36:22 Cínthia- só pq é do Miami!...ashuahsuasha
00:36:33 Ket- não é preconceito =p mas como não assisto não me interesso
00:37:06 Cínthia- enfim...eu tbem não assisto, mas ele é bom fazer o que !...
00:37:24 Þ®¡¡ w¡££öw§- eu assisto amo, então tenho mais direito ao cubano ... hasuhsuausihais
00:37:26 Ket- terça tem ele novo...
00:37:47 Cínthia- nada disso...oxee..hum..tmem quero mais



Então tá. Eu abro mão do Delko. Porque ele é do Miami. E eu não assisto. Vocês dividem.
Mas nem morta eu abro mão do meu negão de Las Vegas!

27 de fev de 2008

No Media

Manda Una Señal- Mana
Te quiero, sí te quiero
Voy andando como fiera tras tus pies, amor
Te veo y te deseo pero tú tienes tu dueño y no te puedes zafar
Los días se pasan sin ti
Las noches se alargan sin ti, sin tu amor, sin tus besos
Ay, si tuvieras libertad, a tu lado yo estaría, amor
Hey, dame, dame una señal, cuando seas libre mi amor
Ay, no lo puedo soportar
No me quiero derrumbar
Mándame un mensaje, una señal
Manda una señal de amor
Manda una señal, amor

Te veo acorralada de unos brazos que no te dejan mover
Te deseo y me deseas pero estás muy aprisionada, corazón
Y no viviré sin tu amor
Y no pararé hasta tener tu amor y tus besos

Hey, estoy viviendo sin vivir
Estoy muriendo sin poder morir
Hey, dime, dime, tell me too, cuando seas libre mi amor
Ay, no lo puedo soportar
No me quiero derrumbar
Mándame un mensaje, una señal
Mándame tu luz, amor
Manda una señal, amor

Vivir, sin ti vivir, estarse muriendo sin morir
Estar, sin ti estar, estarse muriendo sin morir
Amor, dónde estarás, manda un mensaje, una señal
Y no, no pararé, no viviré sin ti, amor... ¡NO!
--------------------------------------------------------
Tudo culpa da Bethy. Ela me mandou essa música há uns 15 dias e eu não consigo ouvir mais nada além dela. É até esquisito. Toca sem parar aqui.
E vai tocar ainda por um bom tempo.

26 de fev de 2008

Das Gostosidades

Papai do Céu, eu vou ser boazinha o ano todo.
Juro.




Mas peloamordedeus manda um habibi desses pra cá, affeeeee!

Das Fobias

Eu ODEIO ônibus atrasado. E atrasado 10 minutos.
ODEIO ônibus lotado.
Atrasado 10 minutos e lotado.
Estou criando pânico de pegar o ônibus das 3 horas [que na verdade chega as 3:10 hrs ¬¬]. Quando vai se aproximando o momento de sair de casa e ir até a parada eu começo a suar frio. Minhas mãos ficam inquietas, minha respiração acelerada. Eu lembro de alguns rostos que sempre estão lá. E que vai estar cheio e eu terei de ficar de pé. Com pessoas ao redor. Apertado. Pessoas me olhando.
Me olhando. Isso é o mais terrível.
A outra alternativa é caminhar 20 minutos.
Hum, tentador.
Só de lembrar agora da Condução do Inferno quase tive síncope.

Acho que tenho alergia a ônibus.
E eles ainda são amarelos!

Morri.

24 de fev de 2008

Humor do dia

Feliz da vida
Porque minha professora arrepiou com meus, até agora, 2 min e 27 seg de George Abdo.

21 de fev de 2008

Coffee, please

Eu tenho uma mania muito estranha de colecionar imagens relacionadas a café.
Não pergunte.
Só um viciado entenderia.
É reconfortante olhar para ele. Assim, um velho amigo, de longas horas e companheiro para todos os momentos. Tipo agora, em meu surto de insônia completa.
Fuçando por aí achei essa:




Que coisa linda!
Surtei agora, quero uma igualzinha!
Eu sou uma daquelas pessoas que sempre perde os eclipses.

Tá bem. Eu nem queria mesmo...

Precisa-se de tempo para...

  1. Ler dois livros que estão pela metade. Ainda
  2. Estudar para concurso público
  3. Acabar de coreografar George Abdo
  4. Ir atrás de um óculos de sol. Novo. Igual ao da Jorja.
  5. Acabar de escrever uma fic
  6. Reescrever todo o começo do meu livro
  7. Assistir um número incontável de epis de Naruto
  8. Fazer duas lições completas e atrasadas de inglês

Doações de tempo por favor sejam encaminhadas para o blog Arabesque.

Desde já agradeço.

20 de fev de 2008

Saida Entrando Numa Fria

Aí ta né, eu adoro a Saida dançando.
Acho ela linda e classuda. Do tipo que não dá pra tirar o olho quando tá no palco. Toda sorrisos com marcações duras e toda suave nas ondulações. Um luxo.
Mas lá de vez em quando, ela é exagerada.
Em tudo.
Começa no movimento, passa pela maquiagem e acaba na roupa. Quando ela exagera só em um, ta beleza. A gente presta atenção no resto. Aí quando ela exagera em todos você fecha os olhos e lembra que Saida é assim mesmo. Curte a loucura do momento. Ela deve ter acordado querendo deixar o mundo colorido.
Aí, hoje fui dar uma olhada no site da bailante e quase caí dura quando ví a foto que abre o site:






Das duas uma: ou ela bateu a cabeça de um jeito muito feio e tá achando que galinhas são amigas/irmãs, ou gostou tanto da fantasia do carnaval que resolver aproveitar por mais um tempo.
Tá um negócio muito do tosco isso vem dizer? Minha alma árabe sentiu calafrios (e fugiu total do corpo quando ví todo o ensaio desse momento 'penoso' credoemcruzes!)


Mas, de qualquer forma eu continuo fã. Joinha tia Saida?

*Juro que não tinha a intensão de fazer esse trocadilho tenebroso com o nome dela, mas foi inevitável devido as circuntâncias. Acredite !*

Queimando a seda

Se um dia eu usar algo assim...

Bata na minha cabeça. Por favor, com força.

As frorzinha ali no busto estão um arraso. Parece uma bandeira né não? E para a saia, sacrificou-se uma cortina.

Sim, eu sou uma chata de marca maior na hora de escolher roupa de dança.
Tenho dito.

19 de fev de 2008

Cochação de msn part 3

Chochação de hoje: a piriguete

21:00:12 Ket- Pinco vc não conhece a Piriguete??
21:00:29 Prii s2 Willows s2- não tenho a minima ideia do que seja isso
21:00:41 Ket- ashiauhsiauh
21:00:43 Cínthia- eu sei o que é
21:01:11 Ket- é akela musica: qnd ela me ve, ela mexe [ou desce..sei lá...] piripiripipiri piriguéééééti
21:01:15 Cínthia- aqui na Bahia também tem Piriguete
21:01:40 Prii s2 Willows s2- EU sinceramente não tenho a MINIMA ideia do que seja isso! Juro Huh
21:02:39 Ket- piriguete no normal a gente usa [ pelo menos aki] pra chamar akelas gurias que vão pra balada num dia de 0° de top e blusinha...e que ficam com 500, se esfregam em td mundo... uma pirigueti!
21:02:45 Cínthia- eitaa Prii tu não lembra quando eu falava que a Lindsay Brit era pritguete não?
21:03:01 Cínthia- isso mesmo
21:03:11 Ket- genteeem pirigueti não sente frio né?
21:03:16 Ket- como é que podeeee?
21:03:53 Prii s2 Willows s2- Oxeeee mas a tal da musica eu num sabia uai... e bom sorry mas essas coisas eu num lembro, piriguete é um nome horrivel pra uma coisa esdruxula
21:04:08 Cínthia- ahsuahsuahs..
21:04:32 Ket- piripipiripíriguéééti


Eu vivo num país em que Piriguete é tipo, um hino à cultura. Adouro.
Depois me pedem porque quero debandar pra Irlanda...
Mas pensando agora, e se lá também tiver piriguete?
Debando do mesmo jeito. Piriguete aqui ou acolá?

Lá com muito mais style =p

17 de fev de 2008

My tea's gone cold, I'm wondering why
I got out of bed at all the morning rain clouds up my window
And I can't see at allAnd even if I could it'd all be gray, but your picture on my wall
It reminds me that it's not so bad
It's not so bad

(Thank you- Dido)

Músiquinha do tipo chá, mel e torradas.
Fixação isso, mas eu amo.
E Dido é divina.

15 de fev de 2008

From Las Vegas

Hahaha
clica aê...



I think he's touching your ass Sidle!

E o homem criou a liquidação!

O paraíso na verdade se chama 'Liquidação de Verão'.
Nada de gramado verdinho, passarinhos cantando e arpas soando no ar. Este paraíso é bem terrestre.
Anjinhos?
Que nada. Nesse Éden só vendedoras. Nem precisam ser assim tão atenciosas, eu só presto atenção no produto que desfila diante de mim como um rebanho de carneirinhos. Bem gordinhos.
Se a ambrosia causa algum efeito, deve ser muito parecido com a sensação de prazer absoluto e felicidade que me invade ao ler as plaquinhas de '70% de desconto a vista'.
70, 70, 70!
Esse paraíso tem cheirinho de sapato novo e brilha mais que estrela. Tenho certeza.
E se Deus tem face, provavelmente é a cara da gerente!
Uau.

Pecado a comparação?

Hum, fia, pecado é não levar nada quando o 70% fica dançando na sua frente ;)

14 de fev de 2008

Geeks Women

Todo dia sai uma lista do tipo 'as 10 mais gostosas', 'as 20 mais enxutas', 'as quarentonas mais lindas', 'as 10 mais gatas da TV' e afins...
Nada muito novo.
Mas o 'afterellen' bolou uma lista muito da bacana intitualada "The seven coolest (female) geeks on TV". Faz sentido não é? Pra quem acompanha o mundo das séries principalmente, elas estão sempre presentes. Junto das colegas gostosonas, elas também fazem muito bonito, e muitas vezes arrebatam mais público e crítica. (Hum, agora seria um bom momento para puxar brasa pra geek que arrebenta na minha série favorita... Mas ela tá na lista!).
Representadas pela palavra geek no sentido de 'gênio', elas são mulheres que demonstram inteligência rápida, muitas vezes acima do normal e acabam se tornando pontos importantes das tramas de quebra e não raramente, arrebatando o mocinho ( será que eu comento que minha geek também levou o chefão? =p) . As novas geeks que invadem a TV também são do tipo que sabem se virar sozinhas, não levam desaforo para casa e dificilmente dependem da ajuda masculina para se virar.
Eu concordo com as escolhidas mas, acrescentaria um punhado de outras:

  1. Samantha Bee de The Daily Show
  2. Dr. Temperance Brennan (Emily Deschanel) de Bones
  3. Liz Lemon (Tina Fey) de 30 Rock
  4. Sara Sidle (Jorja Fox) de CSI Las Vegas
  5. Dr. Dana Scully (Gillian Anderson) de The X-Files
  6. Willow Rosenberg (Alyson Hannigan) de Buffy the Vampire Slayer
  7. Lisa Simpson de The Simpsons

Da minha parte acrescentaria sem dúvida nenhuma Rory Gilmore de Gilmore Girls, Cameron de House, Velma de Scooby Doo e Chloe de Smallville.

13 de fev de 2008

Chochação de msn parte 2

Chochação de hoje: A maresia e o orégano

20:32:55 Ket-fiz logout..e não dá!
20:33:19 Prii s2 Willows s2- oxeeee! o orkut fumo algo!
20:33:40 Ket- folha de bananeira que nem tia Carol =p
20:34:23 Prii s2 Willows s2- com oregano não esqueça o oregano dá o cheirinho de maresia...
20:35:07 Ket- oregano deixa cheiro de maresia?
20:35:09 Ket- não sabia...
20:35:20 Prii s2 Willows s2- me disseram.. shauishuiahsuiasha
20:35:29 Ket- aah te disseram é?
20:35:47 Prii s2 Willows s2- disseram.. sahushuiahsuashiash
20:34:38 Cínthia- Prontooo
20:34:48 Prii s2 Willows s2- Heieeee
20:35:50 Ket- Pinco como vc sabe a coisa da maresia?
20:36:59 Cínthia- o que é a coisa da maresia?
20:37:13 Ket- Pinco sabe das coisas de folha de bananeira com óregano...
20:37:16 Ket- ihahsuiahsiuahs
20:37:19 Prii s2 Willows s2- hasuihuahishs, me disseram uma dia.. ele fumo óregano com banana, ai eu perguntei o pq do óregano, ai disseram q é o q da o cheiro de maresia na parada... mas eu nops sei..
20:37:38 Ket- ele quem?
20:37:56 Prii s2 Willows s2- oxeeee os guris da escola... shaushuiashaus
20:37:57 Cínthia- eu falo sempre "cheirou oregano foi"
20:38:11 Ket- ontem la onde fui o ar tava todo maconhado...
20:38:45 Cínthia- fuma fuma fuma flha de bananeira...fuma de boa só de brincadeira
20:38:55 Cínthia- vc foi uma maconheira passiva
20:38:54 Prii s2 Willows s2- eu conheço esse reggae!
20:39:11 Ket- fui... oO



Será que eu vicio sendo passiva?
Nunca mais saio de casa. Só até a esquina.
Pensando bem... melhor nem arriscar.
Vou viver dentro de uma bolha.
Igual a do Jimmy.
oO

Cigana Vermelha


Ela dançava ao som das batidas. No ritmo das palmas. No crepitar da fogueira.
Não tinha nome, não tinha lar. Era desconhecida, viajante e no momento adorada. Surgia sem aviso, sem pressa, onde quer que o vento a levasse.
Devagar ela se movia entre eles, tão mortais e perdidos, com pés leves e mãos desenhistas. Seu corpo era longo, sinuoso e brilhante, com cheiro de brisa, de estrelas e de noite. Uma noite pura e infinita como nenhum deles jamais veria.
Ao toque alto ela sorria e de seu sorriso brotavam faíscas que iluminavam a escuridão. Tão rubro e sensual era seu riso que agitava suas almas e fazia arder a chama além do fogo onde eles já não estavam mais. Estavam com ela, ao redor dela. Assistindo sua dança e seu feitiço.
Suas sedas e seus adornos roçavam as mãos secas inebriando-os com perfume e seus cabelos de ondas enrolavam-se em fitas longas que eles podiam tocar. Sua dança afagafa-lhes o espírito ferido pelo deserto e como água, matava a sede de beleza, que há muito nenhum dele podia ver.
Dos quadris nasciam movimentos fluidos e vivos, por alto, por baixo, sempre cadenciados com o toque do instrumento levando-os a um delírio maior e mais profundo. Não havia toque que ela não interpretasse, não havia corações que ela não tomasse.
Era disso que vivia. De olhares, de paixão, de promessas que nunca aceitaria.
Eles a chamavam de cigana vermelha, e ela apenas sorria. Seria o que eles quisessem até que o sol nascesse. Eram seus, todos seus enquanto lá estivesse. Tãos seus que ela podia senti-los dentro do peito como o sangue que corria rápido pelas veias.
E quando o horrizonte começava a despontar, ela acelerava e dava-lhes seus últimos desenhos, seus sorrisos mais brilhantes e jogava-lhes um perfume mais doce, para depois desaparecer aos poucos nas areias levando seus véus, partindo para uma próxima noite enluarada.
Deixando-os eternamente enamorados.

Era livre e eterna enquanto existisse o ritmo.
Enquanto existisse a noite e a solidão dos homens...






12 de fev de 2008

From Gilmore

[Emily] Você estava no telefone?
[Richard] Era uma ligação internacional.
[Lorelai] Deus?
[Richard] Londres.
[Lorelai] Deus mora em Londres?
[Richard] Minha mãe mora em Londres.
[Lorelai] Sua mãe é Deus?
[Richard] Lorelai...
[Lorelai] Então... Deus é uma mulher?
[Richard] Lorelai...
[Lorelai] E eu conheço! Legal! Eu vou pedir uns favores...
[Richard] Faça ela parar!
[Rory] Como se eu pudesse!


Não Lorelai, você é Deus! \o/
Ninguém supera a garota Gilmore mor.

11 de fev de 2008



'CSI em novo canal puxa semana recheada de estréias de séries e temporadas.
C.S.I: Crime Scene Investigation: Na nova temporada a série muda de canal e conta, finalmente, o que aconteceu com Sara. No final da temporada anterior, Natalie Davis, a assassina de miniaturas, seqüestra Sara para se vingar de Grisson. Com o destino de Sara nas mãos da criminosa, a série retorna com uma frenética busca da equipe de CSIs pela perita. Jorja Fox, que interpreta Sara Sidle, e já entrou em conflito com os produtores do programa no começo de uma temporada anterior, já anunciou sua saída da série. Mas, isso não significa que Sara vai morrer. Além da saída de Sidle, as novidades incluem a chegada de Jéssica Lucas, que vai interpretar Verônica Lake. AXN, 11/02, 20h'


O Omelete.com até tenta como todos os outros fazer suspense. Mas amoure, todo mundo já sabe o que vai acontecer com a Sara. E como a Honnie é top de linha a gente também sabe ¬¬
Não me importo com o suspense. Mas nome errado não dá não...
Vaisicatá e escreve o nome do chefão direito aí pô!

Mas eu piro com esses troços tchê...